Folhapress

O YouTube anunciou nesta terça-feira (26) um programa de bolsas para jornalistas e organizações que queiram desenvolver projetos de combate à desinformação eleitoral para o Brasil, em parceria com o International Center for Journalists (ICFJ).

Trata-se do programa “Jogo Limpo”, iniciativa voltada para o cenário das eleições brasileiras de 2022. As inscrições são gratuitas e estarão abertas do dia 26 de abril a 15 de maio.

Ao todo serão distribuídos um total de US$ 150 mil (cerca de R$ 732 mil), dividido em bolsas de até US $25.000 (cerca de R$ 122 mil) por projeto aprovado.

O projeto contempla a bolsa financeira e uma mentoria de três meses intermediada pelo ICFJ, a quem caberá também escolher os projetos e selecionar mentores a partir de especialistas que componham a rede da organização.

Podem se inscrever organizações que trabalhem com checagem de fatos, checadores, jornalistas e meios de comunicação que desenvolvam conteúdo, ferramentas ou projetos de alfabetização midiática que, conforme o anúncio, “tenham como objetivo impulsionar informações factuais, informações acessíveis e vitais para as eleições de 2022”.

“[O projeto] Não precisa ser necessariamente para o YouTube. A ideia é que fomente o ecossistema jornalístico”, afirmou Alana Rizzo, gerente de políticas públicas do YouTube Brasil.

Não há previsão, por exemplo, de que projetos, caso voltados à plataforma, sejam implementados.
“As eleições brasileiras são prioridade para o YouTube e temos investido de diferentes formas para combater a desinformação”, afirmou Rizzo.

Em março, a plataforma anunciou que começaria a remover todos os vídeos que contenham alegações falsas de fraudes, erros ou problemas técnicos na eleição de 2018. A atualização nas políticas eleitorais do YouTube foi feita na esteira de diversas críticas à falta de ações da plataforma no combate à desinformação eleitoral.

O YouTube possui um acordo com o TSE no programa de combate à desinformação da Justiça Eleitoral.
Em janeiro, mais de 80 organizações de checagem de fatos, de 46 países, enviaram uma carta à presidente-executiva do YouTube solicitando que a empresa tomasse ações efetivas para combater a desinformação na plataforma.

Uma das medidas sugeridas então era de que a empresa estabelecesse parcerias estruturadas com checadores e assumisse a responsabilidade de investir sistematicamente em iniciativas independentes de verificação de informações ao redor do mundo.

Mais informações sobre o programa “Jogo Limpo” podem ser obtidas pelo site do ICFJ.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia:

Quina de São João teve 11 ganhadores; confira os números

Nova edição da JC Magazine chega aos leitores