Unidos EC é excluído do Amador

161

Matheus Pezzotti

O Unidos EC, campeão da Copa Kaiser de 1997 e tetra da série Ouro, teve dois WO e foi excluído do Amador deste ano
O Unidos EC, campeão da Copa Kaiser de 1997 e tetra da série Ouro, teve dois WO e foi excluído do Amador deste ano

Campeão da 2ª Copa Kaiser, em 1997, tetracampeão da série Ouro e mais recentemente, semifinalista em 2014. Time tradicional do futebol amador de Rio Claro, com títulos expressivos na bagagem, o Unidos EC vive momento delicado em sua história.

No último domingo (14), pela sexta rodada do Amadorzão, a equipe protagonizou seu segundo WO na competição e, com isso, segundo o regulamento, foi eliminada. O primeiro WO havia se dado na rodada anterior e, ainda de acordo com o regulamento, todos os jogos envolvendo o Unidos, tanto os que já foram disputados, como os que ainda valeriam os três pontos, terão o placar de 3 a 0 para os adversários, mesmo aqueles placares que tenham sido por uma vantagem maior.

Os jogadores inscritos no time ficarão dois anos suspensos de qualquer campeonato organizado pela Liga Municipal de Futebol (LMF), menos aqueles que compareceram ao local das partidas, e o clube ficará responsável por pagar a taxa de arbitragem dos dois jogos que não foram realizados.

De acordo com o presidente do clube, Antônio Carlos Beltrame, o Secreta, houve uma pressão dos organizadores do campeonato, a Liga Municipal e a Secretaria de Esportes, para que o time participasse, embora o plano inicial do Unidos fosse outro.

“Começamos a reforma no distrital e tínhamos resolvido que neste ano apenas iríamos cuidar do distrital e não participar do Amador. Mas nos disseram que tínhamos que fazer parte do campeonato por conta do distrital que administramos e acabamos montando o time às pressas. Mas vamos dar a volta por cima. Agora teremos tempo de reformar o distrital e o Projeto Talentos, para os garotos daquela região, vai continuar”, afirma.

O presidente da LMF, Moacir Montezel Junior, complementa dizendo que esta pressão não partiu da entidade e que, caso realmente tenha acontecido, é contraditória.

“O distrital do Ypiranga não está nem sendo usado. Enquanto não colocar alambrado, isolando o campo das outras áreas, não tem condições de receber jogos do Amador. Não ouvi essa conversa de que houve pressão da prefeitura pelo time em participar por conta de administrar um distrital. E também, se o distrital estivesse em condições e recebendo jogos, o distrital seria usado normalmente, mesmo com a exclusão do Unidos”, comenta.

Mais de 30 anos na diretoria do Unidos, o atual vice-presidente Odamir Spadotto chama a atenção para um fato que se tornou rotineiro no futebol, chamado amador, mas que atualmente remunera atletas para jogar pela maioria das agremiações.

“Time montado às pressas precisa pagar para que joguem, mas simplesmente abandonaram o time. Ninguém sabe por quê. Não se pode confiar em jogadores hoje em dia. Ano passado chegamos à semifinal, mas porque tiramos dinheiro do bolso. Mas sabe por que o Unidos nunca acabou? Porque nesses anos todos nunca pagamos para jogarem no nosso time. Isso é coisa que dura no máximo três anos. As equipes tradicionais, com raras exceções, estão acabando. Não têm mais identidade, somente destas equipes novas, que são ligadas a bairros da cidade, que a situação é diferente”, relata.

JOGO ADIADO

Também nesta rodada, a partida entre CSA Ajapi/Tranenge x São Paulinho FC foi adiada. O motivo foi por conta do São Paulinho estar em luto pelo falecimento de um membro da família de um dos diretores.

“Vamos remarcar esse jogo, talvez durante a próxima semana à noite, mas em comum acordo com os clubes envolvidos. Caso não consiga uma data, antes de terminar a fase de classificação, nós vamos parar o campeonato Amador para realizar apenas esse jogo no dia”, afirma o presidente da LMF.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: