Após as celebrações, festa oferece ao público cantina italiana, música e barracas típicas

Da Redação

Após as celebrações, festa oferece ao público cantina italiana, música e barracas típicas
Após as celebrações, festa oferece ao público cantina italiana, música e barracas típicas

Neste final de semana, começa a tradicional festa italiana de São Luís Orione. A abertura está marcada para às 18h deste sábado (2). Na quarta edição, o evento reúne 270 voluntários que, durante os três finais de semana de maio, levam diversão, promovem a culinária e angariam fundos para obras assistenciais.

Organizada pela Paróquia Nossa Senhora da Saúde e Abrigo da Velhice São Vicente de Paulo, a festa acontece nos dias 2 e 3, 9 e 10, 16 e 17 deste mês. Com o lema ‘Viva a fé com Obras’, tem como objetivos festejar São Luís Orione, cuja data de canonização é comemorada no dia 16 de maio; angariar fundos para atender às necessidades do Abrigo da Velhice São Vicente de Paulo e do Centro de Convivência do Idoso “Mãe da Saúde”; contribuir para o congraçamento e vida cristã da população da paróquia, da cidade de Rio Claro e região; e, também, despertar lideranças para atividades comunitárias.

Aos sábados e domingos, depois das celebrações, o público pode prestigiar a cantina italiana e a externa com barracas típicas. No segundo domingo de maio (10), às 12h, tem o tradicional almoço das Mães. Adesões para o jantar italiano e almoço de Dia das Mães podem ser adquiridas na secretaria da Paróquia Nossa Senhora da Saúde, na Avenida 4-A, 244, Cidade Nova; no Abrigo São Vicente de Paulo, na Rua 1, 270.

As missas começam às 18h. Aos sábados e domingos, haverá bençãos de Nossa Senhora às 19h, 20h, 21h e 22h. A programação acontece na Capela Santa Luzia, na Avenida 22-A, 1169, Bela Vista.

São Luís Orione

São Luís Orione foi um sacerdote católico italiano que nasceu no dia 23 de junho de 1872. Bem cedo, percebeu o chamado do Senhor ao sacerdócio, dedicando-se aos doentes, necessitados e marginalizados.

São Luís Orione morreu em 12 de março de 1940. Vinte e cinco anos depois, em 1965, seu corpo foi encontrado incólume. O papa Pio XII o denominou “pai dos pobres, benfeitor da humanidade sofredora e abandonada” e o papa João Paulo II, depois de tê-lo declarado beato em 26 de outubro de 1980, finalmente o canonizou em 16 de maio de 2004.

Animado por uma grande paixão pela Igreja e pelas Almas, Dom Orione se envolveu ativamente nos problemas emergente da época: a luta pela liberdade e a unidade da Igreja.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Notícias:

Prefeitura altera trânsito na Visconde com a Avenida 32

Prefeito de Santa anuncia abono salarial de R$ 400,00 em dezembro