Seis atletas de Rio Claro conquistam medalhas na Copa das Federações

136

Da Redação

A equipe Carmen Carolina Pro Team de Taekwondo subiu ao pódio, no último final de semana, na disputa da Copa das Federações em Recife, no Estado do Pernambuco.

A delegação foi composta por seis atletas que no total trouxeram para Rio Claro três medalhas de ouro, duas de prata e uma de bronze e, segundo a técnica da equipe, Carmen Carolina, “o resultado já era esperado”.

A primeira a lutar foi a atual titular da Seleção Brasileira, Paloma Lima, pela categoria Sub-21 até 62 quilos. Paloma garantiu o título e a medalha de ouro depois de vencer por 3 a 1 uma atleta de São Caetano.

A atleta Luanna Charlene (à esq.) obteve o bronze, enquanto que Paloma Lima (à dir.), o ouro
A atleta Luanna Charlene (à esq.) obteve o bronze, enquanto que Paloma Lima (à dir.), o ouro

Em seguida foi a vez de Nicholas Pigozzi entrar no tatame e aumentar o nível de ansiedade da equipe técnica. O atleta segurou a liderança durante as três primeiras lutas da categoria até 63 quilos. A final contra um taekwondista de Natal foi árdua. Com os dois primeiros rounds empatados, a decisão foi dada pelo Ponto de Ouro, uma espécie de morte súbita, quando vence o atleta que marcar primeiro. E Nicholas, apesar de todo o esforço, ficou com o vice-campeonato e a medalha de prata.

O Ponto de Ouro apareceu em outras duas lutas. Luanna Charlene, que também enfrentou uma atleta de São Caetano pela categoria até 63 quilos, empatou no primeiro round e perdeu na ‘decisão’. Como está entre as melhores no ranking nacional, a atleta garantiu a medalha de bronze.

E foi pelo ponto decisivo que Luciene Matos garantiu o título e a medalha de ouro na categoria acima de 73 quilos. Depois de um round zero a zero, Luciene dominou rapidamente a adversária de Pernambuco, marcando o ponto final.

Pela categoria até 68 quilos, Diego Vitoriano deu trabalho para seu adversário na luta final. Com o placar garantido em 9 a 4, o técnico pediu cartão (verificação do ponto por vídeo) e os árbitros confirmaram o golpe que não foi computado, subindo a pontuação contrária para oito pontos. Mas, no final, Diego marcou um ponto e finalizou a luta em 10 a 8, garantindo a medalha de ouro.

Fechando as conquistas, o atleta ‘mirim’ Luiz Henrique Pelegrin, da categoria Cadete até 49 quilos, colocou em prática todo seu treinamento e conquistou a medalha de prata.

Com estes resultados, os primeiros lugares somaram ao índice do ranking brasileiro 10 pontos e os segundos, seis. Todos os atletas, com exceção de Diego, se firmam entre os três melhores, com mais chances de disputar a seletiva fechada que vai decidir a equipe da Seleção Brasileira de 2016, em março do ano que vem. Antes disso, os atletas precisam passar pela Copa do Brasil, que acontece em novembro.

“Apesar de não ser uma competição principal, todos estão focados na classificação para esta seletiva. Há boas chances dos atletas chegarem ao objetivo, já que eles têm treinado diariamente e estão vindo de uma temporada de muitas competições, o que propiciou agregar mais informações e elevar o nível técnico da equipe”, analisa a técnica Carmen Carolina.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: