A Santa Casa de Misericórdia de Rio Claro, entidade privativa que atende gratuitamente a população através do SUS (Sistema Único de Saúde), busca meios para manter os atendimentos. De acordo com Jorge Pedro, vice-provedor da instituição, o custo do contrato de 100 leitos disponibilizados à Prefeitura gira em torno de R$ 50 milhões anuais. “Os recursos públicos que vêm para pagar esse custo somam aproximadamente 70%, ou seja, de R$ 15 milhões a R$ 20 milhões que a entidade precisa colocar para fechar a conta do SUS”, afirma ao Jornal Cidade de Rio Claro.

Segundo o representante, o déficit financeiro impossibilita novos investimentos para melhora do atendimento gratuito. “Passam da ordem de R$ 10 milhões e por pagarmos o valor para o SUS, impossibilita a infraestrutura ser melhorada”, acrescenta, anunciando uma série de campanhas que estão sendo lançadas para que a população possa colaborar com doações. Aproximadamente 270 mil pessoas de Rio Claro e microrregião utilizam os serviços da Santa Casa de Misericórdia.

Há alguns meses que está em vigor uma lei municipal que permite que o cidadão destine valores à instituição através da conta de água/esgoto do Departamento Autônomo de Água e Esgoto (Daae), uma iniciativa da Prefeitura de Rio Claro. Também de forma voluntária, o contribuinte pode acrescentar à conta um valor desejado para que seja repassado à entidade. “São aproximadamente 80 mil pontos de água, se cada um doar R$ 1,00 serão R$ 80 mil por mês”, lembra Jorge Pedro. O formulário deve ser preenchido no site www.doe.santacasaderioclaro.com.br ou pessoalmente na Santa Casa.

A plataforma de PIX também é permitida para doações. O chamado PIX Solidário não tem valor definido, basta fazer a transação pelo e-mail [email protected] Outra maneira de doação para a entidade é através da doação automática na Nota Fiscal Paulista. Através do site www.nfp.fazenda.sp.gov.br, no perfil individual do cidadão, basta cadastrar a entidade na doação de cupons.

Sem verbas

Segundo a entidade, prefeituras da microrregião de Rio Claro não colaboram com recursos financeiros para manter os atendimentos.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.