Um dia especial para 10 pacientes que estavam em regime de internação psiquiátrica no Hospital Bezerra de Menezes, em Rio Claro. Na quinta-feira (22) eles passaram a morar em Residência Terapêutica, conforme estabelece o Ministério da Saúde por meio de uma portaria de fevereiro de 2000. Alguns desses pacientes estavam internados na unidade há mais de 15 anos.

A saída dos pacientes do Bezerra de Menezes para a Residência Terapêutica foi feita sob os cuidados da equipe de Saúde Mental da Secretaria Municipal de Saúde.
“É mais um investimento na Saúde que visa a humanização e acolhimento das pessoas. Muitos pacientes permaneciam no hospital, que também presta um excelente serviço, apenas por não terem local adequado para viverem, e agora têm”, comenta o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria.

A implantação de Residências Terapêuticas foi um compromisso firmado pela atual administração e está consonância com a política nacional de desinstitucionalização e efetiva reintegração de doentes mentais na comunidade. Juntamente com os programas federais De Volta Para Casa e de reestruturação dos hospitais psiquiátricos, o Serviço Residencial Terapêutico (SRT) vem concretizando as diretrizes de superação do modelo de atenção centrado em hospital. “Nossa preocupação é que internos que já estejam estabilizados, e não necessitem morar no hospital, possam ser acolhidos na vida diária com humanidade e carinho”, explica o secretário municipal de Saúde Djair Francisco.

Todos os pacientes que moram na primeira Residência Terapêutica de Rio Claro são estabilizados e passaram por adaptações a partir do início do ano passado, com saídas regulares do hospital sob os cuidados da equipe da rede municipal de Saúde Mental. “Todos já conhecem a casa, estão muito felizes em poder viverem lá”, explica Ana Carolina Nevoeiro, psiquiatra responsável pela rede de Saúde Mental de Rio Claro.  “No local há cuidadores profissionais 24 horas”, acrescenta, destacando que com essa iniciativa o município devolve a vida social aos pacientes. “Muitos não tinham suporte da família e por isso precisavam morar no hospital, mesmo estando bem, já estáveis, plenamente capazes serem reinseridos à sociedade”, acrescenta a especialista.

A Residência Terapêutica (RT) é uma casa localizada na Rua 15 entre as Avenidas 13 e 15, no Bairro do Estádio. O imóvel foi inteiramente reformado e adaptado.

Conforme estabelece o programa, os moradores da RT contam com suporte profissional da equipe de Saúde Mental do município, com atendimento voltado às demandas e necessidades específicas de cada um. Fazem parte da equipe de atendimento profissionais do Caps (Centro de Atendimento Psicossocial) e da Rede de Atenção Básica. O processo de reabilitação psicossocial busca a inserção do usuário na rede de serviços, organizações e nas relações sociais da comunidade.
No início dos anos 90, experiências de sucesso nas cidades de Campinas (SP), Ribeirão Preto (SP), Santos (SP), Rio de Janeiro (RJ) e Porto Alegre (RS) demonstraram a efetividade da iniciativa na reinserção dos pacientes na comunidade. Estas experiências geraram subsídios para a elaboração da Portaria n.º 106/2000, do Ministério da Saúde, que introduz os Serviços de Residências Terapêuticas no âmbito do SUS.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Notícias:

Saiba como denunciar assédio sexual sofrido no trabalho

Rio Claro vacina contra a Covid a partir das 7h30