Time da casa tinha a vantagem do empate, pois venceu a partida de ida por 1 a 0, com gol de Luan, atuando na casa do rival

FEDERAÇÃO PAULISTA DE FUTEBOL

Um verdadeiro clima de decisão tomou conta do Canindé na tarde deste sábado (9), quando a Portuguesa recebeu o Rio Claro, na segunda e decisiva partida das semifinais do Paulistão A2. O empate por 1 a 1 recolocou a Lusa na elite depois de sete anos.

Um empate garantia o time da capital novamente na elite devido a vitória por 1 a 0 no jogo de ida, e os jogadores fizeram a festa dos 12.968 torcedores que compareceram ao Canindé.

A primeira etapa no Canindé começou muito agitada, digna de uma grande decisão. Precisando vencer para garantir a vaga, o Rio Claro foi quem atacou mais nos minutos iniciais, pressionando a Portuguesa na saída de bola e criando chances, mas sem muito perigo ao gol de Thomazella. Após a ansiedade do início da partida passar, a Portuguesa passou a dominar a posse de bola e as investidas ofensivas do jogo.

Muito bem postadas, as equipes pouco permitiram que os adversários atacassem com perigo. A primeira grande chance do jogo saiu apenas aos 29 minutos, quando após pegar rebote da defesa, Caio Mancha chutou de fora da área e assustou a meta adversária. A pressão do time da casa, no entanto, surtiu efeito aos 34 minutos, quando após passe de Daniel Costa, Gustavo França chutou cruzado e abriu o placar.

O Rio Claro ainda teve uma boa chance aos 40, com Felipe Pará e aos 45 com Thiago, mas Thomazella salvou o time da capital. Assim, a primeira etapa acabou com o placar anotando 1 a 0 para a Portuguesa.

Na volta para o segundo tempo, a Portuguesa mostrou que buscaria garantir a vitória e passou a pressionar o Rio Claro, subindo as linhas de marcação e criando boas chances. Logo aos três minutos, Marzagão chutou de fora, mas o goleiro Victor salvou os visitantes. Sem objetividade e pressionando, a Portuguesa abriu a marcação e em um contra-ataque, viu o jogo ficar ainda mais quente.

Após receber lançamento, no único ataque do Rio Claro no segundo tempo até então, Bruno Moraes recebeu na esquerda, cortou para o meio e de fora da área colocou a bola no ângulo, sem chances para Thomazella, deixando tudo igual no Canindé.

O time da casa seguiu levando perigo e quase voltou a ficar na frente do placar aos 25, com Anderson Ligeiro, mas a defesa cotou quase em cima da linha. O Rio Claro pouco atacou, mas quando chegou, levou perigo. Após diversas chances da Lusa, aos 33, Felipe Pará aproveitou um bate-rebate na área e chutou no canto, tirando tinta da trave.

O clima no final da partida foi ficando cada vez mais intenso, dentro e fora de campo. Apoiada pela torcida, a Portuguesa conseguiu segurar o resultado e agora vai atrás do título do Paulistão A2.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Esportes: