O rio-clarense Bruno Camargo

Matheus Pezzotti

O rio-clarense Bruno Camargo
O rio-clarense Bruno Camargo

Todos sabem que atualmente, o melhor time de basquete, não só do país, mas da América, é o Paschoalotto/Bauru. Atual bi-campeão Paulista, campeão da Liga Sul-Americana de Clubes e mais recentemente, campeão invicto da Liga das Américas, conquistado no último domingo (15), com a vitória por 86 a 72 contra o Pioneros, do México.

Diante de tantos campeonatos com elevada qualidade técnica dos times e inúmeras decisões, além do elenco qualificado, o preparo físico é fundamental para que os títulos sejam conquistados.

E neste setor, o rio-clarense Bruno Camargo, que completou 31 anos no último sábado (21), se destaca como preparador físico e fisiologista do time bauruense há um ano, além de ser coordenador da preparação física das categorias de base da equipe.

“Sempre procurei me preparar, estudar muito para ter uma experiência como essa. Confesso que não sonhava em ser tão rápido e em um time tão qualificado. Há pouco tempo assistia esses jogadores e comissão técnica pela televisão. Hoje sou privilegiado em ter esses profissionais no meu dia-a-dia. São profissionais do mais alto nível de comprometimento e dedicação. Essa conquista representa um sonho que jamais pensei que realizaria. Faço questão de dizer que muita gente me ajudou a chegar aqui, em especial no basquete de Rio Claro”, diz.

O trabalho na área começou em Rio Claro em 2006, ficando até 2008. Ficou dois anos na categoria de base da seleção brasileira e depois retornou para trabalhar no basquete feminino da cidade em 2011 e 2012 e depois em 2013, no time masculino, quando foi campeão da Copa Sudeste. Depois, recebeu proposta para trabalhar no Minas Tênis Clube no NBB 6 e agora, está em Bauru.

Com muitos atletas da equipe sendo convocados para a seleção brasileira, Bruno também troca experiências e relatórios com os membros da comissão técnica do time nacional e afirma que o elenco qualificado ajuda em seu trabalho.

“O primeiro ponto é ter elenco. O calendário também é pesado no basquete e temos que nos adaptar. Fazemos controle de carga de treinamento, revezamento para que não tenha sobrecarga e controle fisiológico. Elenco qualificado ajuda bastante, mas mesmo assim temos que ter muita cautela, porque é um grupo experiente. Nosso maior objetivo agora é fechar a temporada sendo o primeiro time paulista campeão do NBB. Sabemos apenas que o Mundial será no Brasil. Ainda não tem data definida, mas já é muito conversado por aqui e já nos programamos para também buscar a conquista deste título”, finaliza.

Mais em Esportes:

Velo Clube faz exames da Covid-19

Velo Clube rescinde contrato do lateral Janilson