Procon alerta contra golpe do boleto

75

Divulgação

Consumidores devem ficar atentos às dicas do Procon para não se tornarem vítimas do golpe do boleto, que está atualmente sendo aplicado na praça
Consumidores devem ficar atentos às dicas do Procon para não se tornarem vítimas do golpe do boleto, que está atualmente sendo aplicado na praça

O Procon alerta consumidores e fornecedores no que diz respeito à emissão de boletos em que fraudadores cobram indevidamente faturas como se fossem tributos obrigatórios. Em Rio Claro, o Procon tem registrado de três a cinco denúncias por dia de vítimas do golpe.

Uma estratégia usada pelos fraudadores é encaminhar a cobrança com o prazo de vencimento expirado ou perto de vencer. Em caso de dúvida, o consumidor deve consultar o possível credor para verificar a autenticidade do boleto, antes de fazer o pagamento.

As entidades fantasmas utilizam um boleto similar ao enviado por bancos para pagamentos de tributos e apresentam artigos da Constituição Federal que citam prováveis punições, caso o valor cobrado não seja quitado. Em muitos casos, fraudadores chegam a usar a marca do banco no boleto.

Nos últimos 15 dias, o Procon de Rio Claro vem registrando uma média de três a cinco queixas por dia de consumidores que caíram no golpe. Segundo o superintendente do órgão, a instituição financeira é corresponsável nesse caso e deve ressarcir seus clientes, consumidores de boa-fé. As vítimas devem buscar ajuda junto ao Procon.

ENTENDA O GOLPE

Batizada de “gangue do boleto”, o grupo que coordena a fraude identificada pela empresa RSA opera via internet dos EUA e se conecta aos computadores por um vírus. Uma vez infectados, os computadores são monitorados a distância. Toda vez que um código de boleto é digitado ou identificado, a quadrilha intercepta o pagamento e o desvia para suas contas.

Entre fevereiro e maio deste ano, foram identificados quase 496 mil boletos nos servidores da quadrilha nos EUA, com datas dos últimos dois anos. No total, eles valem US$ 3,75 bilhões (ou cerca de R$ 8,57 bilhões).

Consumidores que forem lesados podem procurar o Procon para orientação. O posto central fica na Avenida 5, número 345, Centro, telefone (19) 3533-2070. A subsede fica na Avenida M-15, número 411, no Cervezão.

DICAS:

1. Desconfiar de cobranças realizadas por e-mail ou por mensagens SMS.

2. Não repassar dados pessoais por telefone.

3. Contatar o possível credor para verificar a legitimidade da cobrança.

4. Em caso de cobrança em que o consumidor desconfie de sua origem, poderá realizar o pagamento em juízo, por meio de ação de consignação em pagamento, pela qual o valor fica depositado em conta judicial, sendo restituído ao consumidor no caso de ser constatada a sua ilegalidade.

5. Bancos não mandam e-mail de cobrança, por isso não abra.

6. Registrar ocorrência policial comunicando, em caso de confirmação, a fraude.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: