Após o encerramento do Novo Basquete Brasil – 12, temporada 2019/2020, devido à pandemia do coronavírus, os apaixonados pelo Rio Claro Basquete passaram a se preocupar com o futuro do time. Sem nenhuma competição agendada oficialmente para o segundo semestre, a apreensão pela continuidade do projeto de retorno da equipe que começou em 2019 é grande. De acordo com André Godoy, presidente do Rio Claro Basquete, o momento é de espera devido ao momento atípico que o país vive.

Qual é a atual situação do Rio Claro Basquete?

“A exemplo da maioria das modalidades esportivas, atividades escolares, culturais e quase todos os setores da economia, estamos em compasso de espera. E nem podia ser diferente diante do momento atípico enfrentado não apenas no Brasil, mas no mundo inteiro por conta da pandemia de coronavírus. Uma guerra que não pedimos para entrar e não temos nem ideia de quando vamos sair”.

Publicidade

Os contratos de atletas, comissão técnica e patrocinadores foram encerrados?

“Encerramos todos os contratos a partir do momento em que foi encerrado precocemente o campeonato da Liga Nacional de Basquete (NBB), uma vez que ainda não existe oficialmente uma definição sobre as próximas competições. O mesmo ocorreu em relação aos contratos de patrocínio, que voltarão a ser negociados quando for definido um calendário pelas entidades que comandam o basquete em nível estadual e nacional. Lembrando que não é uma decisão que dependa única e exclusivamente da Liga e dos clubes, mais sim das autoridades de saúde”.

Qual a expectativa para o futuro do Leão ?

“Desde a retomada do projeto para termos um basquete digno da nossa tradição, trabalhamos na implantação de um modelo profissional nos moldes do clube-empresa, com orçamento financiado pela iniciativa privada. Essa missão tem como âncora a tradicional ABCD Bandeirantes, que existe há quase 90 anos e foi responsável pela aquisição da vaga que nos permitiu participar da LNB. Precisamos manter essa chama acesa para garantirmos que a modalidade seja cada vez mais motivo de orgulho da população rio-clarense”.

O projeto será mantido independente do resultado das eleições municipais?

“É inegável que precisamos de parceria com o poder público, mas não podemos condicionar a manutenção da equipe a cada troca de prefeito. Por isso, é fundamental estabelecermos um time que seja da cidade e não um projeto ligado a grupos políticos. Não podemos ignorar que o basquete vai além da categoria adulta, pois envolve também as categorias de base, o que faz de Rio Claro um celeiro de atletas, sem contar a importância social que isso representa”.

Mais em Esportes: