Ednéia Silva

No final do ano passado, o governo de São Paulo enfrentou uma dura queda de braço com os estudantes da rede estadual de ensino que ocuparam escolas em várias cidades paulistas em protesto contra o projeto de reorganização do ensino. Agora, o governo enfrenta novas ocupações, desta vez dos alunos das escolas técnicas, administradas pelo Centro Paula Souza.

A ocupação das escolas é um protesto contra um esquema de fraudes na compra de merenda escolar e contra o corte de verba para a merenda. Eles também reivindicam a distribuição de merenda em toda a rede pública estadual.

Rio Claro tem a Etec “Prof. Armando Bayeux da Silva”, que não participa do movimento de ocupação. O diretor da unidade, Jeferson Antônio Alves, comenta que a reivindicação dos alunos por merenda é justa, mas não é somente uma questão de fornecer os alimentos, as escolas precisam ter estrutura para isso.

A Etec Bayeux, por exemplo, não tem essa estrutura. Segundo Alves, o prédio não tem cozinha, refeitório e local para guardar os alimentos.

Acordo

Etec Bayeux atende 80 alunos com merenda na Escola Joaquim Salles por meio de acordo feito entre a direção das duas escolas, a Diretoria de Ensino e a prefeitura, que fornece os alimentos e as cozinheiras.