Segundo informações do segmento imobiliário, o mercado começou 2020 com o pé direito: a expectativa dos especialistas reforçava uma alta de 3%, destacando o setor como um dos motores da economia para este ano. Além disso, segundo o IBGE, o PIB (Produto Interno Bruto) da Construção Civil aumentou 0,3% em 2019, a primeira alta desde 2014.

Esses dados geraram muito otimismo para construtoras, incorporadoras e imobiliárias. No entanto, essa confiança deu lugar à cautela. Toda a economia agora se encontra à mercê desse novo cenário que se desenha com a pandemia do coronavírus no mundo.

O que podemos esperar do setor de imóveis?

Publicidade

Para responder sobre isso e outras questões do segmento, entrevistamos Emílio Capretz Neto, 35 , engenheiro civil e presidente da CAPREM Construtora ( 14° maior construtora do Brasil (2019). Ele também é atleta amador de Triathlon e já competiu em locais como São Paulo, Rio de Janeiro, Florianópolis e Buenos Aires. Para ele “Viver é como andar de bicicleta. É preciso estar em constante movimento para manter o equilíbrio. ” (Albert Einstein)

CONSTRUIR – Tendência do mercado imobiliário para os próximos anos: imóveis mais valorizados ou depende? Se depender, quais as variáveis?

Emílio Capretz – O mercado imobiliário brasileiro é, historicamente, bastante sólido. Considerando o médio e longo prazo, imóveis tendem a valorizar acima da inflação e, atualmente, acima da taxa básica de juros – SELIC. Recentemente, elaboramos um estudo de comparação entre investimentos em imóveis e os demais disponíveis no mercado (Poupança, Bolsa de Valores, Tesouro Nacional e CDB) e o resultado é implacável. Nossos produtos tiveram uma rentabilidade média na ordem de 9,50% a.a. enquanto os demais variam entre 4,30% (CDB) e -20,00% (IBovespa). Considerando um período de 12 meses e apenas a evolução do valor do imóvel, sem levar em conta as receitas com alugueis que o imóvel pode produzir, na ordem de 0,5 a 1,00% a.m. (dependendo das características).

Construir  – Otimismo x incertezas políticas e econômicas, como equilibrar a visão em longo prazo?

Emilio Capretz – Antes da pandemia, o atual governo por meio de sua equipe econômica vinha fazendo as “lições de casa” da melhor maneira possível (baixa da taxa básica de juros, controle das variações cambiais e inflação), e já estávamos sentindo os efeitos positivos, como a queda do desemprego e o crescimento de vários setores de nossa economia. É claro, que a pandemia resultará em uma recessão global neste ano, porém, o país tem tudo para retomar o crescimento de forma rápida quando tudo se normalizar. Além disso, as famílias entendem cada vez mais que as oportunidades e possibilidades de investirem em imóveis próprios são cada vez mais tangíveis. Não há nada pior que passar por períodos de tensão, como este atual, com a preocupação de ver que o recurso se torna ainda mais restrito quando se tem uma despesa fixa como a do temido aluguel.

Construir – Aumentar lançamentos e reduzir unidades em estoque é possível?

Emilio Capretz – É possível. O déficit habitacional brasileiro ainda é muito grande, e, somados a alguns fatores que colaboram para que mais unidades sejam vendidas e mais clientes realizem o sonho da casa própria. Primeiramente, as incorporadoras estão trabalhando nas melhores condições de compra para os clientes viabilizando condições bem diferenciadas. Os bancos estão com linhas de crédito bem arrojadas aos perfis dos clientes, trazendo segurança e mais tranquilidade na hora da compra. Se pensarmos nos motivos pelo quais os clientes compram seus imóveis, veremos que a demanda só aumenta, seja no upgrade ou downgrade. Por exemplo, o número de casamentos e divórcios, estudantes que vão estudar na cidade, casas que ficam grandes demais para os moradores e optam pela redução. Estes cenários fazem com que novos lançamentos sejam viabilizados e com que as unidades sejam liquidadas.

Construir – O novo governo tem sinalizado de diversas formas que a recuperação do cenário macroeconômico do Brasil é a diminuição da taxa de juros e o controle da inflação, como a Caprem se alinha a essa visão?

Emilio Capretz – Os cortes na Taxa Selic são feitos para aumentar o consumo. Normalmente, quando os juros caem, o valor do crédito também segue a mesma trajetória. Assim, as pessoas costumam buscar empréstimos, o que aumenta a circulação de dinheiro. As parcelas ficam mais baixas e conseguimos atender a um maior número de clientes. Àqueles em que as parcelas não cabiam no bolso, já começam a pensar na possibilidade de compra. Linhas de crédito de financiamento, como o IPCA surgem, fazendo com que um novo nicho possa comprar. A CAPREM Construtora atua nos segmentos econômico, médio e alto padrão. Conseguimos atender as necessidades de moradia de todos os tipos de clientes e atuamos no mercado com preço justo, equalizado à região que atuamos. Os clientes ficam muito satisfeito com esse posicionamento.

Construir – Quais os empreendimentos que estão no momento sendo comercializados, quais as características, investimento e público alvo?

Emilio Capretz – Nós temos vários tipos de empreendimentos a venda neste momento, como o  Residencial Cambuci que está em fase avançada de obra, o que é muito importante para quem quer se mudar em breve. Ele tem um lindo apartamento decorado aberto à visitação. Quem preferir, pode solicitar pelo WhatsApp da construtora os óculos de realidade virtual para ter esta experiência online. E também nos empreendimentos Sollare, Villaggio Corte e Innovare criamos condições únicas, para que a compra dos apartamentos não precise ser adiada.  O cliente pode comprar agora e começar a pagar em 60 dias. A parcela do financiamento ficará fixa por 60 dias e a entrada pode ser parcelada em 36x direto com a construtora. Temos o seguro desemprego, que nada mais é que, se algum imprevisto acontecer, devolvemos seu dinheiro integralmente no período determinado. Vale a pena conhecer as condições comerciais com nossos consultores. Sua compra pode ser 100% online. Do primeiro contato com nossos consultores até a assinatura do contrato. É muito fácil! Estamos online e ao seu lado, sempre conectada com você! Basta acessar o site da CAPREM construtora.

Esta matéria é parte integrante do caderno especial Construir edição Maio/20 acesse o conteúdo completo clicando aqui.

Mais em Dia a Dia:

Defesa diz que aposentado morreu no hospital, e não no banco

Rio Claro tem 143 óbitos por coronavírus