Sergio Luiz Costa Ferreira assumiu o cargo no dia 1º de abril e vai manter o (não) planejamento da atual administração municipal

Matheus Pezzotti

Sérgio Ferreira (à esquerda) também foi entrevistado no Jornal de Esportes da Excelsior Jovem Pan News da última sexta-feira (29)
Sérgio Ferreira (à esquerda) também foi entrevistado no Jornal de Esportes da Excelsior Jovem Pan News da última sexta-feira (29)

No cargo desde 1º de abril, o novo secretário de Esportes, Sergio Luiz Costa Ferreira, substitui Reginaldo Breda, que pediu exoneração da função por conta de pretensões políticas neste ano, e conversou com a Redação do JC na sexta-feira (29).

De acordo com o novo secretário, a política será a mesma, mantendo as atividades gratuitas voltadas para a população nos polos da cidade, mas com uma diferença.

“Por orientação da administração, não vamos disputar os Jogos Regionais e os Jogos Abertos. Por ser ano eleitoral, independente dos atletas serem ou não da cidade, há um gasto operacional muito grande”, diz.

Questionado sobre o futuro do Rio Claro Basquete, já que jogadores e o técnico Dedé Barbosa, cujos contratos se encerraram na última semana de abril, manifestaram interesse em permanecer na equipe, Ferreira informou apenas que “haverá uma reunião nesta semana da Associação Cultural Beneficente Desportiva e potenciais patrocinadores para tentar manter a equipe. Hoje ainda é prematuro para dar um parecer, mas nos próximos dias teremos informações sobre este assunto”.

Na próxima temporada, a equipe terá duas disputas: o Campeonato Paulista, previsto para a segunda quinzena de julho ou a primeira de agosto, e o NBB 9, previsto para outubro.

Segundo fontes ligadas ao basquete, a prefeitura pretende auxiliar a equipe apenas na logística, como alimentação, moradia, transporte e viagens. E, com isso, os patrocinadores arcariam com os salários dos jogadores e da comissão técnica.

AMADOR

O novo secretário também falou sobre o atraso no início do Campeonato Amador, que estava previsto para o dia 17 de abril, já que a Liga Municipal de Futebol (LMF) ainda não recebeu a subvenção de R$ 120 mil da prefeitura.

“Na quarta-feira (4), haverá uma reunião da Secretaria de Finanças, Câmara dos Vereadores e algumas entidades que recebem subvenção. Há questionamentos para adequação das prestações de contas nos moldes da nova lei, para que os repasses sejam realizados”, explica.

Aprovada no final de 2015, a Lei nº 4923, de autoria do vereador Anderson Christofoletti (PMDB), regulamenta a prestação de contas de entidades para receberem concessão de auxílios e subvenções do poder público autorizados pela Câmara Municipal.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.