IDV e Procon-SP elaboram lista de ações em prol do consumidor para a Black Friday

59

Divulgação

O IDV (Instituto para Desenvolvimento do Varejo) e a Fundação Procon-SP elaboraram uma lista com uma série de recomendações às empresas participantes da Black Friday, que acontecerá em 28 de novembro. Esta iniciativa visa a evitar que eventuais falhas afetem a credibilidade desse mercado, prejudicando o consumidor.

Entre as recomendações estão o serviço de atendimento ao consumidor adequado e efetivo, 24 horas, da meia-noite até as 23h59 de 28 de novembro, por chat, principais redes sociais ou telefone; preços e descontos efetivos para os produtos participantes da Black Friday, sem aumento prévio do preço sobre o qual irá incidir o desconto anunciado; e infraestrutura reforçada para melhor estabilidade do site, evitando a ocorrência frequente de oscilações decorrentes do grande volume de acessos.

A identificação visual dos produtos participantes da Black Friday também deverá ser ostensiva, com a utilização do selo da promoção, hot site ou na página principal do próprio site. As empresas ainda devem lembrar o consumidor que o fato de colocar o produto no carrinho não significa que ele esteja garantido, ou seja, a reserva somente será feita mediante o preenchimento dos dados de pagamento para a geração de um número de pedido.

Outra recomendação importante do IDV é que estão sendo enviados e-mails falsos com chamadas de ofertas e descontos. Estes devem ser ignorados pelos consumidores, que também não devem abrir arquivos com anexos nem acessar os links.

Sobre o IDV

O IDV (Instituto para Desenvolvimento do Varejo) representa 64 empresas varejistas de diferentes setores, como alimentos, eletrodomésticos, móveis, utilidades domésticas, produtos de higiene e limpeza, cosméticos, material de construção, medicamentos, vestuário e calçados. Atuante em todo o território nacional, o IDV tem como principal objetivo contribuir para o crescimento sustentável da economia brasileira, além do desenvolvimento do varejo ético e formal.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: