Grupamento de Polícia Montada preserva ordem pública em Rio Claro

155

Adriel Arvolea

Sargento Marucci (em pé) e soldado Benites compõem a equipe do Grupamento de Polícia Montada
Sargento Marucci (em pé) e soldado Benites compõem a equipe do Grupamento de Polícia Montada

Bravo, Nogueira, Rancho, Tasqueto e Zambaio chamam a atenção por onde passam. Imponentes, têm a missão de preservar a ordem pública. Tratam-se dos cinco cavalos do Grupamento de Polícia Montada de Rio Claro, que em 14 de setembro de 2015 completa 30 anos em operação. Junto aos policiais, os animais saem às ruas para auxiliá-los no monitoramento da cidade e, também, região.

Nessas quase três décadas de serviços prestados, sargento Marucci, comandante do grupamento, destaca que o trabalho desenvolvido é pró-comunidade. “Fazemos patrulhamento ostensivo a cavalo em todas as regiões de Rio Claro. O conjunto homem-animal é visto a grandes distâncias, pelo cidadão de bem ou pela pessoa, que por ventura, queira cometer um delito”, explica.

Durante as ações de rua, o risco é mínimo ao cavalo. Há uma técnica de montaria que oferece segurança ao animal, ao policial e à população. “Existe todo um treinamento, os policiais são preparados e trabalhamos para o condicionamento dos animais”, reforça o sargento. Em situações emergenciais, há um caminhão para o deslocamento da tropa a cavalo.

O Grupamento é subordinado ao 37º Batalhão da Polícia Militar do Interior (37º BPM/I), atendendo às cidades que o compõem. Instalado no Grande Cervezão, a área ocupada conta com picadeiro de treinamento, baias para acomodar os cinco cavalos, espaço veterinário, local de ferrageamento, instalações administrativas e de apoio aos policiais.

Os animais são da raça IZ (Instituto de Zootecnia), exclusiva da Polícia Militar. São criados em Colina, numa fazenda de propriedade do Estado. “Eles oferecem docilidade ao cavaleiro. É uma linhagem que facilita a ação com o policial”, comenta sargento Marucci.

Além do policiamento, o Grupamento tem se aproximado cada vez mais da comunidade. Há quatro anos, é desenvolvida a Escola de Equitação em parceria com a União dos Amigos do Menor (Udam) e Casa das Crianças. Semanalmente, em média, 30 crianças vão ao local para ter instruções de montaria e proximidade com a polícia.

Segundo o instrutor de montaria, soldado Benites, a relação policial-animal aproxima e atrai as crianças. “É uma parceria em que há melhora do lidar do policial na rua; relação policial-cavalo-criança é positiva e construtiva.”, conclui.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: