Exercício físico: qual o melhor?

295

Publieditorial

Vivenciamos uma realidade onde nos vemos cercados de informações em torno dos benefícios da prática de exercício físico. Cada dia mais os estudos concretizam a real importância para nossa saúde física e mental. Dentro desse contexto você certamente já foi questionado… E você, faz algum tipo de exercício?

Se você AINDA não faz… já está na hora de mudar a resposta para SIM quando te perguntarem novamente. A ciência nos permite afirmar que melhorias nos quadros de patologias metabólicas, musculoesqueléticas e psicológicas têm relação direta com a prática regular de exercício físico. E se você não tem nenhuma dessas limitações citadas acima, é muito provável que você possa vir a ter, caso não venha a aderir a um estilo de vida ativo.

Sendo assim, vamos nos movimentar. Manter um dia a dia agitado, corrido e dinâmico não substitui a prática orientada de exercício físico. O primeiro passo a ser compreendido é que exercício físico não tem idade para começar (o quanto antes melhor), e muito menos idade para parar. Sua prática deve ser exercida por toda a vida. Regularidade é a palavra-chave. Como sabemos, nem todo mundo é fã número 1 de exercício físico. Aí, então fica difícil encarar a idéia de que ele tenha que ser mantido para sempre. Por isso, procure por uma atividade e um ambiente que lhe seja prazeroso… à medida que você for sentindo os benefícios dessa prática regular seu conceito com relação a exercício vai mudar.

Dentre os principais estímulos de exercícios podemos citar:

  • Exercícios aeróbios: além de inúmeros benefícios psicológicos, devido a liberação de endorfina e serotonina, são fundamentais para nossa condição cardiorrespiratória;
  • Funcionais: ideais para nosso equilíbrio, coordenação, tempo de reação, entre outros.
  • Alongamento: para manutenção e aperfeiçoamento de nossa flexibilidade.
  • Musculação: vale ressaltar este treino voltado para fortalecimento muscular, que vem ocupando um papel de destaque nos atuais estudos. O ganho de massa muscular, que antes era visto de forma apenas estética, vem mostrando que é muito além disso. A musculação tem sido efetiva na prevenção e tratamento de todos os componentes da Síndrome Metabólica (sendo eles: resistência à insulina, obesidade, HAS e dislipidemia). Outro ponto positivo derivado dessa prática é a manutenção de nossa autonomia, visto que todos os nossos movimentos são realizados através de contração muscular. Quando ocorre a perda da massa muscular se iniciam as dores e limitações de movimento, nos tornando incapacitados. Quando pensamos na tão falada qualidade de vida, a prática da musculação não pode ser deixada de lado.

Com tantas ferramentas a serem utilizadas precisamos ter a consciência do importante papel do profissional de Educação Física na prescrição do exercício físico adequado. Todo exercício deve ser direcionado, orientado e associado a uma gestão de comportamento que vai além da sua prática, tais como hábitos alimentares saudáveis e uma boa qualidade do sono. Procure orientação profissional e descubra qual o melhor exercício para você.

*** Nayara Boer Manoel, coordenadora Clínica Movae / Rua 8, 157 – Saúde, Telefone: (019) 35 975121

Qual sua opinião? Deixe um comentário: