Com uma média de 120 óbitos por mês, o número de pessoas que passam no velório municipal para dar o último adeus é altíssimo. Pensando exatamente neste público e com o objetivo de preservar o ambiente diante de alguns recorrentes acontecimentos, os banheiros do local passaram a ser trancados e quem quiser usar vai precisar pedir a chave na recepção.

“Nós estávamos relutando para não tomar essa medida até por uma questão que a gente sabe que toda mudança gera um desconforto, porém há alguns dias tivemos uma situação que foi praticamente a gota d’água entre muitas outras que vínhamos protelando”, conta Adriano Pavanelli Batagello, que é chefe de núcleo do velório e da funerária municipal de Rio Claro.

Essa situação pode ser melhor explicada pela agente de serviços gerais Nilza Dragoni, que há cinco anos trabalha no local e é uma das responsáveis pela limpeza dos banheiros: “Eu entrei para fazer a limpeza e encontrei a privada toda suja e entupida. Tivemos muito trabalho para limpar, pois haviam jogado dentro uma roupa íntima e um rolo inteiro de papel higiênico”, conta a funcionária.

Dona Nilza é uma das responsáveis pela limpeza dos banheiros e mostra que objetos foram furtados

E essa não foi a primeira vez, alerta a direção: “Tudo o que compramos é furtado, tampa de vaso, fechaduras, saboneteiras. Temos pelo local uma grande circulação de usuários de drogas e pessoas em situação de rua. Alguns chegaram até a tirar a roupa e tomar banho na pia, e isso é extremamente desagradável para quem está aqui velando um familiar, por exemplo. Por isso estamos tendo um controle de quem usa para preservar o ambiente limpo e em ordem para aqueles que necessitam. A mudança é que agora a chave precisa ser solicitada”, comenta Adriano.

Adriano Pavanelli Batagello (chefe de núcleo do velório)

O responsável também pontua que para essas pessoas existem os serviços oferecidos pelo município como os CRAS e albergue: “Esse espaço não é para promover algazarras nem para tomar banho. Nessa administração promovemos uma série de melhorias, como reforma do telhado, ar condicionado em todas as salas, pintura. Queremos a compreensão da população, pois essa medida foi para deixarmos o ambiente equipado e em ordem para o uso”, finaliza Adriano.