Divulgação

O período de abril e maio é o mais preocupante para os agentes de saúde porque assinala o pico da dengue no Brasil. No entanto, até o momento, Rio Claro encontra-se numa situação mais tranquila em relação ao ano passado, quando viveu um quadro epidêmico.

De acordo com boletim da Vigilância Epidemiológica emitido na sexta-feira (15), o município de Rio Claro confirma 31 casos de dengue no ano de 2016. O número de casos de chikungunya confirmados é de sete (7) sendo quatro (4) importados. Dois casos de zika vírus estão em investigação.

Chikungunya

De acordo com o Ministério da Saúde, os sinais e os sintomas de chikungunya são clinicamente parecidos com os da dengue – febre de início agudo, dores articulares e musculares, cefaleia, nausea, fadiga e exantema.

A principal manifestação clínica que difere são as fortes dores nas articulações com a chikun. Após a fase inicial, a doença pode evoluir em duas etapas subsequentes: fase subaguda e crônica.

O nome chikungunya deriva de uma palavra em Makonde, língua falada por um grupo que vive no sudeste da Tanzânia e norte de Moçambique. Significa “aqueles que se dobram”, descrevendo a aparência encurvada de pessoas que sofrem os sintomas.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia: