Canil Municipal: veterinário dá sua versão sobre caso

2212

Lucas Calore

Uma denúncia sobre supostos maus-tratos cometidos contra animais do Canil Municipal repercute em Rio Claro. Alguns casos vieram à tona nessa segunda-feira (4), quando integrantes da organização não governamental “Guardiões dos Animais de Rio Claro” divulgaram gravações e fotos que sugerem o crime contra cães e um gato por parte de funcionários do local.

De acordo com a presidente da entidade, Rita Ribeiro, os profissionais que aparecem são conhecidos. “Mostramos as imagens para veterinários da nossa confiança que confirmaram os maus-tratos. Por mais que o animal seja arisco, o procedimento deveria ser feito com anestesia e ele ficou feroz”, explica em relação ao vídeo que mostra um veterinário tentando aplicar injeção no gato.

Denúncia

Todo o material foi reunido junto a outras denúncias. “Estamos em contato com um advogado e faremos uma representação no Ministério Público”, garante Rita. As imagens são das próprias câmeras de segurança e foram enviadas por uma moradora da cidade às ativistas da entidade.

Segundo o Dr. Edmundo Canavezzi, presidente da Comissão de Direito Animal da OAB – Rio Claro, que também recebeu o conteúdo, uma investigação preliminar foi aberta. “Ainda não temos provas testemunhais, no entanto as imagens revelam indícios sérios. Estamos verificando qual foi a real condição das ações”, comunica. O promotor de Justiça e Meio Ambiente Gilberto Porto Camargo afirmou ao JC que o caso pode desencadear crime de maus-tratos a animais, além de responsabilidade civil. Um manifesto será realizado por ativistas nesta quarta-feira (6) às 7h30, no Paço Municipal.

Prefeitura

Tão logo tomou conhecimento da denúncia, o prefeito Juninho da Padaria determinou a abertura de uma sindicância. “Não admito, não tolero e não aceito qualquer tipo de maus-tratos contra pessoas ou animais”, afirmou. Funcionários que aparecem nas imagens são da empresa que presta serviços à prefeitura, conforme contrato assinado na gestão anterior. A empresa foi notificada pela prefeitura para dar explicações.

Vale lembrar que o Canil Municipal é um departamento distinto do Centro de Controle de Zoonoses de Rio Claro e trabalham em frentes e prédios diferentes.

O outro lado

Murilo Lautenschlager, veterinário que aparece nas imagens gravadas, procurou a reportagem do Jornal Cidade para se posicionar a respeito do caso. O profissional afirmou que por meio do extenso trabalho realizado em canis das Forças Armadas no Rio de Janeiro recebeu a proposta para retornar a Rio Claro e atuar no Canil Municipal. “Quando assumi o cargo de gerente os animais passaram a ter fichas. Todos foram castrados e tratados. Tenho laudos dos animais, implantei a quarentena no Canil. Mudei a prevenção e manejo sanitário no local”, disse.

Sobre a acusação, argumentou que, no caso do gato, o animal é arisco e estava estressado. “Estava fazendo uma contenção física e ele estava arredio, acabou me mordendo. Tive que fazer limpeza do ferimento. Foi aplicada a anestesia e ele saltou para baixo da geladeira. Estava laçado na pata e parte cervical, é um animal de difícil manipulação, é um felino”, explicou. O veterinário pediu exoneração do cargo no mês de junho, para atuar em outra empresa.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: