Basquete retorna ao Clube de Campo

206

Matheus Pezzotti

O ex-jogador e coordenador do projeto, Álvaro Pacheco, em entrevista durante o programa Jornal de Esportes, da Excelsior JP
O ex-jogador e coordenador do projeto, Álvaro Pacheco, em entrevista durante o programa Jornal de Esportes, da Excelsior JP

Quem não se lembra da época vitoriosa do time de basquete do Clube de Campo nas décadas de oitenta e noventa? A antiga relação está de volta nas categorias de base com objetivo de, além da realização de um projeto social na cidade, resgatar os áureos tempos do basquete rio-clarense.

Com parceria entre o Clube de Campo, a escola Garra Basquete, do ex-jogador Álvaro Pacheco, e a Prefeitura, o projeto é realizado no clube inicialmente para crianças de 10 até 13 anos.

“Estamos buscando, através das crianças, começar um trabalho a médio e longo prazo para que no futuro, termos uma escada de categorias para que dê sustentação para o time Adulto do Rio Claro Basquete”, afirma Daniel Guedes, diretor de esporte do Clube de Campo.

A quadra de piso flutuante foi substituída no ginásio Felipe Karam e a primeira, foi levada para o clube, além das antigas tabelas, cronômetro de 24 segundos e placar eletrônico para, além do trabalho feito, sediar jogos dessas categorias na Associação Regional de Basquete (ARB).

“Fizemos parceria com a Prefeitura que nos permitiu levar essa estrutura e nós estamos reformando a quadra coberta que vai se tornar um ginásio e acredito que em 40, 60 dias, a gente já esteja em funcionamento para mandarmos os jogos. Estamos começando um projeto novo e muitas crianças são sócias do clube, mas também há varias que não são e isso é muito importante. A ideia existe há três anos e apareceu a oportunidade de fazer isso agora, com a nova diretoria”, acrescenta.

Guedes também confirmou outra parceria, com a Unicamp e a Faculdade de Ciências do Esporte de Limeira, através do Prof Dr. Luciano Mercadante que consiste em um acompanhamento de mestrandos, doutorandos e estagiários com as crianças deste projeto.

“Estamos buscando, não só amarrar o projeto com a Prefeitura, mas com a sociedade. Estamos buscando apoio das pessoas que gostam do basquete, empresas da cidade”, projeta.

Álvaro Pacheco é o coordenador deste projeto, mas antes, recebera um convite para fazer parte do Projeto Garra, na Trilha do Basquete, do Instituto Justa Trilha, no projeto Terra Nova, que tem expectativa de atender até 400 crianças.

“O Instituto da Justa Trilha pode receber destinação do imposto de renda de pessoa física em até 3% e 1% de pessoa jurídica e em volta deste projeto, está a parceria com o Clube de Campo e a Prefeitura”, explica.

Pela demanda, há duas equipes Sub-12 e uma Sub-13 e os interessados devem mandar um e-mail para contato@clubedecamporc.com.br ou ligar para 9 9759-3734.

“Começamos com essas categorias, para subir uma categoria por ano para que essas crianças tenham uma sequência nas atividades, trabalhando os fundamentos do basquete, desenvolvendo a qualidade. Acredito que daqui três anos começaremos a ter resultados, que, entre valores, princípios e fundamentos, é um tempo curto para desenvolver um atleta. Quando você cria raiz, o garoto não vai querer sair para outra cidade. Então temos que fomentar uma situação para que a gente comece a colher alguns frutos, mantendo uma base para ser aproveitada no time principal. É um grande passo para se tornar uma cidade polo do basquete, porque Rio Claro respira basquete”, finaliza Álvaro.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: