Bandas de RC apostam em músicas autorais

190

Lourenço Favari

CANOS DO ROCK: na foto, a banda Craniana. Garrafa Vazia e Anguere completam o time dos que produzem música autoral
CANOS DO ROCK: na foto, a banda Craniana. Garrafa Vazia e Anguere completam o time dos que produzem música autoral

Muitos acreditam que o rock morreu. Não. No máximo, como cantou o roqueiro Lobão, o rock errou. Mas quem nunca errou que atire a primeira pedra. Afinal, errando ou acertando, as pedras continuam rolando.

O estilo musical, que surgiu na metade do século 20, produziu grandes nomes da música e aglutinou etnias, gênero, empunhou bandeiras, marcou época e continua em pleno vigor. Jovem como nunca. Importante destacar que, com o advento da internet, o trabalho de divulgação do artista ficou muito mais fácil. Mas como encontrar este material no meio de tanto conteúdo espalhado e perdido na rede? Nesta edição, a reportagem entra nos canos do rock e apresenta bandas e artistas de Rio Claro que apostam em composições autorais com letras em português e ajudam a escrever a história do rock.

ANGUERE

Formada em 2008, a banda, que transita entre o metal e hardcore, já tem dois EPs gravados. O primeiro leva o nome da banda e contém seis faixas, e o segundo, “HCRC”, contém três faixas. A banda, que também participou da coletânea “Faces of Hate 4” do selo Tornhate Records, prepara mais um disco. O novo trabalho, denominado “Estado de Choque”, conta com doze músicas e deve ser lançado ainda neste ano. O grupo é formado pelos músicos Thiago Soares (vocal), Adriano R. Prado (bateria) e Cleber Roccon (guitarra). Ouça no tnb.art.br/rede/anguere.

CRANIANA

Quando os amigos Bruno Casonato (voz), Elias Franco (guitarra), Fabeh Reis (baixo) e Marcão Lapola (batera) resolveram se reunir para montar uma banda, o resultado foi o que os próprios integrantes chamam de “o som craniana”. A banda Craniana produz um som agressivo, contestador e que aposta em letras que discutem questões sociais.

O grupo crossover afirma beber em outros estilos musicais, como o rap, música clássica e jazz. O primeiro disco da banda é denominado “Ruas D’Alma”, tem oito faixas e pode ser ouvido no link tnb.art.br/rede/craniana.

GARRAFA VAZIA

Velha conhecida da cena musical, a banda de garage rock Garrafa Vazia faz um punk rock irreverente e cheio de referências locais. Em atividade desde 1999, já dividiu palco com bandas como Olho Seco, GBH (Inglaterra), Ratos de Porão, Cólera, Biohazard (EUA), entre outras.

Teve o disco “Greatest Shits” apontado em uma lista produzida por grupo de blogs especializados como “100 álbuns de 2014 que você precisa conhecer”. Com capa de Luiz Berger e produzido pela Pé de Macaco S/A, divulga o mais novo trabalho: “Back to Bacana”, com oito músicas. É formada por Mario Mariones (vocal), Hebert (guitarra) e Vadio (bateria). Ouça no soundcloud.com/garrafavazia.

MÚSICAS

Para os leitores, o JC selecionou as músicas “Campo Minado”, da Anguere (clique aqui); “Back to Bacana”, da Garrafa Vazia (clique aqui); e “Propina”, da Craniana (clique aqui). Conheça o rock indaiá.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: