Balanço da Santa Casa comprova o equilíbrio financeiro do hospital

154

Ednéia Silva

José Carlos Cardoso, provedor da Santa Casa, com balanço financeiro sobre a entidade
José Carlos Cardoso, provedor da Santa Casa, com balanço financeiro sobre a entidade

Na edição de domingo do JC, dia 26 de abril, na coluna PolítiKa, foi publicada nota sobre a indicação apresentada pelo deputado estadual Fernando Capez (PSDB), presidente da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo. Na indicação, o parlamentar solicita ao governador Geraldo Alckmin que realize estudos verificando a possibilidade de construção de um hospital público em Rio Claro.

Para justificar o pedido, Capez afirma que a população da cidade dispõe apenas da Santa Casa (para atendimento pelo SUS) que, “além de não conseguir atender a demanda, passa por uma crise sem precedentes”. Nessa segunda-feira (27), o provedor da Santa Casa, José Carlos Cardoso, contestou a afirmação. De acordo com ele, a informação pode se referir a outros hospitais, mas não ao de Rio Claro que fechou 2014 com saldo positivo de R$ 6.877.097,00.

O provedor explica que a Santa Casa de Rio Claro é tão mal paga pelo governo federal quanto as demais, já que a verba enviada pelo governo federal cobre apenas 50% dos gastos do SUS. No caso da Santa Casa de Rio Claro, as contas são equilibradas pelos recursos gerados pelo plano Santa Casa Saúde. O convênio foi criado justamente para isso e vem dando certo. O hospital está livre de dívidas.

Cardoso informa que apenas alguns serviços não são realizados na Santa Casa local que hoje não amplia o atendimento por causa do governo que não aumenta o envio de recursos. No ano passado, a Santa Casa atendeu pelo SUS (Sistema Único de Saúde), 5.423 internações, 4.471 cirurgias, 1.582 partos, 270.331 exames e 73.514 terapias ambulatoriais.

O Pronto Atendimento do Hospital São Rafael realizou 74.895 atendimentos, sendo 75% de pacientes do convênio Santa Casa Saúde. O hospital possui 152 leitos. Desses, 102 são para o SUS e 50 para o plano de saúde. Cardoso destaca que 80% de tudo que se realiza na Santa Casa é referente ao SUS e 20% ao plano de saúde. Devido a epidemia de dengue, o hospital chegou a atender de 370 a 380 pessoas por dia. Agora, a situação está se normalizando.

A Santa Casa tem projeto pronto para ampliar a ala do SUS com criação de mais 150 leitos. O projeto foi concluído em agosto do ano passado e, na época, a construção do prédio foi orçada em R$ 30 milhões. O hospital não dispõe desse montante para viabilizar o projeto.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: