As luminárias da Av. Tancredo Neves são abastecidas por energia solar captada e armazenada em painéis acoplados aos postes. Mais ensolarado o dia, melhor seria o funcionamento. O que não acontece

Adriel Arvolea

As luminárias da Av. Tancredo Neves são abastecidas por energia solar captada e armazenada em painéis acoplados aos postes. Mais ensolarado o dia, melhor seria o funcionamento. O que não acontece
As luminárias da Av. Tancredo Neves são abastecidas por energia solar captada e armazenada em painéis acoplados aos postes. Mais ensolarado o dia, melhor seria o funcionamento. O que não acontece

A Avenida Tancredo Neves, no trecho conhecido como anel viário que faz a ligação do Terminal Rodoviário com o Jardim Inocoop, conta com iluminação solar. São 42 luminárias instaladas com o objetivo de aumentar a visibilidade noturna.

A implantação do sistema se estende por 1.200 metros e está inserida no contexto de ações complementares de urbanismo e paisagismo que acompanharam as obras para o fim das enchentes do bairro Inocoop.

Com a inauguração do novo trecho, moradores da zona sul, entre eles do Jardim da Palmeiras, Brasília, Guanabara, Terra Nova e Nova Rio Claro, deixaram de utilizar a Estrada dos Costas para acessar vias como a Visconde do Rio Claro e a Rua 14.

No entanto, a nova tecnologia tem apresentado sucessivas falhas. Em maio deste ano, nos dias de sol, o sistema funcionava até as 2 horas. Nos dias nublados, a iluminação era mantida até as 23 horas. Passados cinco meses, o projeto, ainda, não funciona conforme o previsto. Ao menos dez luminárias não estão funcionando durante toda a noite, conforme verificado pela reportagem do Jornal Cidade. O problema pode ser verificado logo às 23h.

O vereador Juninho da Padaria, que acompanha a situação desde o início, reforça que o sistema não é funcional. “Já houve a troca de luminárias e placas com defeito, mas o problema persiste. Posso garantir que, ao menos, 50% das lâmpadas não estão funcionando. Conforme avança a madrugada, elas param de funcionar. A prefeitura gastou R$ 4.800,00 por poste para este resultado. Contatei a empresa e, em dez dias, prometeram avaliar a situação. Nesta segunda-feira (20), enviarei requerimento ao prefeito reforçando o problema”, comenta.

Em contrapartida, a Secretaria de Obras informa que não recebeu reclamações recentes a respeito da iluminação no trecho. “Equipe da secretaria será enviada ao local para verificar se o sistema apresenta os problemas informados”, comenta em nota.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Segurança:

Rio Claro registra o 6º homicídio de 2023

Confira as ocorrências policiais deste sábado (28)