Apesar de proibição, selfies eleitorais estão nas redes sociais

66

Fabíola Cunha

Eleitor que fizer foto na cabine de votação pode ser preso
Eleitor que fizer foto na cabine de votação pode ser preso

A duas horas do fim da votação, inúmeras selfies (autorretratos feitos com smartphones) feitas em frente à urna já foram divulgadas pelas redes sociais. Até mesmo um site selecionando “as melhores” já está no ar.

O problema é que o eleitor é proibido de entrar na cabine de votação com aparelhos de comunicação, com celulares ou câmeras, “que possam comprometer o sigilo do voto”.

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), não há revista de eleitores, mas as pessoas que desrespeitarem a legislação estão sujeitas a até dois anos de detenção.

Entre os famosos que cometeram o crime, Paula Lavigne postou no Instagram foto da urna com o candidato de sua escolha, mas apagou o registro logo em seguida, após ser avisada por amigos que estava infringindo a lei.

Segundo o TSE, caso os mesários flagrem algum eleitor fotografando o voto, a orientação é que o episódio seja registrado em ata, identificando o eleitor. Caberá ao juiz eleitoral comunicar o fato ao Ministério Público Eleitoral para instauração de inquérito.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: