Luana Aurélio de Sousa, de 22 anos, é aluna da Associação há cerca de quatro anos

Laura Tesseti

Luana Aurélio de Sousa, de 22 anos, é aluna da Associação há cerca de quatro anos
Luana Aurélio de Sousa, de 22 anos, é aluna da Associação há cerca de quatro anos

A jovem Luana Aurélio de Sousa, de 22 anos, é aluna da Apae – Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais, de Rio Claro, e sagrou-se vencedora do Concurso Estadual de Cartazes da FEAPAES-SP, que envolveu Apaes de todo o estado.

“Luana terá seu desenho inscrito na etapa nacional e concorrerá com alunos de todo país agora”, conta Renata Claro de Oliveira, diretora técnica da Apae de Rio Claro, toda orgulhosa.

Luana frequenta as aulas na Associação há cerca de quatro anos e é deficiente intelectual, visual e auditiva, com uma percepção singular e uma sensibilidade incrível. A jovem gosta de registrar espontaneamente situações do seu dia a dia por meio de desenhos.

“Olhamos o caderno dela e vimos os desenhos, percebemos que ela retratava aquilo que via, que vivia com os colegas, durante as atividades, as aulas aqui na Apae, ficamos encantados com os desenhos de Luana, a sensibilidade em tudo, como ela reproduzia aquilo que vivia no papel”, fala Sônia Maria Bastos Buchidid, diretora-geral.

Questionada sobre a paixão pelo desenho, Luana fala que gosta muito de estudar na Associação, dos amigos que tem lá e também dos desenhos que faz. A alegria da jovem é evidente quando fala dos trabalhos realizados com o papel e lápis de cor.

O desenho vencedor, que retrata um baile de carnaval na Apae, com Rei Momo e a Escola de Samba Samuca
O desenho vencedor, que retrata um baile de carnaval na Apae, com Rei Momo e a Escola de Samba Samuca

LIVRO

Há cerca de dois anos, a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Rio Claro lançou um livro, comemorando os 50 anos de existência.

“Amada Para Sempre” é o nome dado à publicação que imortalizou depoimentos de todos os alunos da Apae, falando sobre as diversas atividades que acontecem por lá, sejam festas, cursos ou coisas do cotidiano. E ninguém melhor para ilustrar tudo o que acontece de melhor que Luana.

“A ideia do livro surgiu quando vimos os desenhos da Luana, colhemos os depoimentos dos nossos alunos e transcrevemos tudo exatamente da maneira como nos relataram, foi uma experiência muito rica e produtiva para todos”, finaliza Sonia, diretor-geral.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Notícias:

Pharoah Sanders, saxofonista e lenda do jazz, morre aos 81 anos

Cresce número de crianças registradas por mães solo

JC nas Eleições debate dificuldade para Rio Claro eleger deputados