Camila com os pais (foto: Ramon Rossi)

Camila Fernandes de Oliveira, 19 anos, é filha de pedreiro e empregada doméstica, tendo feito todos os anos dos ensinos fundamental e médio em escola pública, sem passar por cursinhos pré-vestibulares comunitários ou privados. Ela conseguiu uma vaga num curso de elite, em termos de concorrência, e vai cursar medicina na UFSCar (Universidade Federal de São Carlos).

“Sendo quem eu sou e de onde vim, é uma vitória extraordinária. Hoje, pessoas pobres e que estudaram em escola pública igual a mim, com a mesma realidade que a minha, não têm tantas oportunidades que as pessoas de classe média, de escola particular. Sempre enfrentei muitos desafios, mas sempre consegui ter o estudo como minha prioridade”, disse ela ao Jornal Cidade em entrevista ao repórter Ramon Rossi.

Veja também: Negra, pai pedreiro, da rede pública e aprovada em medicina na UFSCar

Camila, moradora no Novo Wenzel, em Rio Claro, contou que considera a entrada para a universidade federal como uma vitória quase impossível. “Quase. Eu venci. Passei e desejo que mais pessoas como eu tenham esse tipo de oportunidade, [ocupando] nossos espaços de direito, [inclusive] na medicina e outros cursos que são mais elitizados.”

Para ajudá-la nos estudos acadêmicos, a família de Camila está promovendo uma Feijoada Solidária que visa angariar fundos para a compra de um Notebook (computador). A adesão custa apenas R$ 25,00 e a retirada será no esquema Drive-thru. Para informações e encomenda, ligue: (19) 99788.8267.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia:

Saiba como denunciar assédio sexual sofrido no trabalho

Rio Claro vacina contra a Covid a partir das 7h30