População doa seu tempo para plantar mudas nativas em áreas do Horto Florestal. Esta é a 3ª etapa do replantio na floresta

Carine Corrêa

População doa seu tempo para plantar mudas nativas em áreas do Horto Florestal. Esta é a 3ª etapa do replantio na floresta
População doa seu tempo para plantar mudas nativas em áreas do Horto Florestal. Esta é a 3ª etapa do replantio na floresta

Promessa é dívida. Desde 2015 voluntários se organizam para o plantio de mudas em áreas que foram devastadas por incêndios na Floresta Estadual Edmundo Navarro de Andrade (Feena). O movimento que teve início com a voluntária Carol Mortari já plantou 450 árvores no antigo Horto Florestal.

No último domingo, na terceira etapa do replantio, foram 200 mudas plantadas por cerca de 15 voluntários. “A área foi escolhida por fazer divisa com a área urbana, o que a deixa muito propicia a novos incêndios e descarte de lixo e entulho. O plantio de nativas entre os eucaliptos vai protegê-los, fazendo bastante sombra, inibindo o crescimento do mato e reduzindo a probabilidade de novos incêndios, além de favorecer a nossa fauna. Queremos criar uma espécie de cinturão nativo que futuramente pode se estender até a Unesp”, explica Carol.

Ela ainda faz um convite para a população nos próximos replantios que devem acontecer na floresta: “Cada um é muito pra nós. Somos poucos, então um a mais faz toda diferença”, frisou. A primeira etapa do replantio foi em janeiro do ano passado e contou com a participação de 100 pessoas. Já a segunda aconteceu em março do mesmo ano.