O mês de março, quando é comemorado o Dia Internacional da Mulher, é mais do que especial para a Dona Francisca Rosa de Jesus, ou melhor, Vó Chica como ela é carinhosamente chamada por todos. Natural de Santana do Tabuleiro (MG), há 12 anos chegou a Santa Gertrudes para morar com o neto e outros familiares no bairro Iporanga, após ficar viúva e também perder os dois filhos.

No RG, o registro comprova: em 12 de março de 2023 completou 111 anos. Em meio a tanta experiência de vida, ela – que durante anos e anos trouxe ao mundo muitas novas vidas com o ofício de parteira – é grata pelo momento atual e pela dádiva de ser centenária, mas guarda com carinho muitas lembranças. Uma das maiores saudades é da infância.

“Graças a Deus eu tive uma mãe muito boa, porque se não tem a mãe ou alguém especial para ensinar, a filha não aprende. Já trazer crianças ao mundo foi Deus e Nossa Senhora que me ensinaram. Perdi as contas de quantos partos eu fiz na minha vida. Cada criança que nascia através das minhas mãos era uma grande alegria”, relembra Vó Chica.

Hoje em dia ela possui algumas limitações e não consegue mais ter tanta autonomia como antes para fazer simples coisas do dia a dia, mas quando o assunto é uma boa conversa, ela gosta. Ao receber a reportagem do Jornal Cidade para falar de mais um aniversário, fez questão de mandar uma mensagem para todos os leitores.

“O que eu posso falar para vocês é que Deus abençoe vocês todos. Dá um bom juízo para quem é solteiro e um bom juízo para quem é casado, porque isso é muito importante. Termos consciência dos nossos atos. Nunca se esqueçam também de honrar pai e mãe e toda a família. Sou muito feliz com a minha família. Meu neto Gino, a esposa dele Margalete, que cuida tão bem de mim, minha bisneta Ana Livia e meu primeiro tataraneto Miguel, que nasceu recentemente e tem apenas um mês”. Sobre a alegria de celebrar 111 anos, ela se diz muito grata: “Mais um ano de vida, mais um ano de sabedoria e junto daqueles que eu amo”, disse Vó Chica.