Valdir Bruno Nogueira é o presidente do Conselho Central da Sociedade de São Vicente de Paulo de Rio Claro

Favari Filho

Valdir Bruno Nogueira é o presidente do Conselho Central da Sociedade de São Vicente de Paulo de Rio Claro
Valdir Bruno Nogueira é o presidente do Conselho Central da Sociedade de São Vicente de Paulo de Rio Claro

A Sociedade São Vicente de Paulo é um movimento católico de leigos, que se dedica na realização de ações designadas a aliviar a aflição dos mais necessitados. Fundada em 23 de abril de 1833, por um grupo de jovens universitários liderados por Antônio Frederico Ozanam – que à época tinha vinte anos de idade e cursava Direito na Universidade de Sorbonne, em Paris –, a SSVP vem semeando o bem há 182 anos.

Presente em 148 países, com aproximadamente 720 mil Vicentinos espalhados pelo mundo, a caridade tem sido a sigla da instituição durante toda a sua trajetória. No Brasil, existem cerca de 250 mil membros e, de acordo com o presidente do Conselho Central (que abrange também as cidades de Ipeúna e Santa Gertrudes), Valdir Bruno Nogueira, em Rio Claro são 280 voluntários que prestam auxílio ao próximo diuturnamente.

Nogueira recebeu a reportagem do Jornal Cidade e falou um pouco sobre o funcionamento da entidade e do trabalho que realizam no município. De acordo com os dados apresentados, a primeira Conferência da Cidade Azul foi inaugurada em 1902 e, desde então, os Vicentinos têm ajudado os mais necessitados. Atualmente, cerca de 250 famílias são assistidas pela associação, que não tem fins lucrativos e que vive de doações promovendo doações.

“A estrutura da entidade é semelhante a de uma pirâmide”, explicou Nogueira. Na base estão as Conferências, seguidas pelos Conselhos Particulares, Conselhos Centrais, Conselhos Metropolitanos, Conselho Nacional e, por fim, o Conselho Internacional. O presidente lembrou que “a base é a parte mais importante, pois sem as Conferências [que têm de oito a 12 elementos] todo o resto se tornaria inviável”.

O trabalho começa com a sindicância, ou seja, uma visita à casa do necessitado realizada por dois membros da Conferência. “É indispensável ouvir os pobres antes”, enfatizou Nogueira. Em seguida, incentivam às pessoas a adquirirem forças e condições para superar o problema. “A intenção é fazer com que o necessitado seja promovido socialmente”, esclareceu. Os interessados em realizar doações ou se tornar um voluntário podem entrar em contado com o Conselho Central, na Rua 1, número 151. “É um trabalho edificante, um chamado de Deus, pois é preciso trabalhar o dom da caridade e da humildade”, finalizou.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia:

Rio Claro registra 378 novos casos de Covid

Barulho “inferniza” moradores de vários bairros de RC