Francine Alves, empresária dona de uma papelaria no bairro Jardim das Palmeiras, mostra cadernos com personagens infantis que estão fazendo sucesso neste ano

Lucas Calore

Falta cerca de um mês para a volta às aulas nas unidades escolares públicas. As papelarias de Rio Claro já estão focadas nas vendas para este ano, numa forma de compensar a queda no faturamento registrada em 2016.

Francine Alves, proprietária de uma papelaria no Jardim das Palmeiras, acredita que ações do governo podem ter contribuído para a queda. “Talvez seja por conta da distribuição de materiais gratuitos que a própria escola faz para os alunos”, comenta.

A empresária relata que poucos pais já foram fazer as compras das listas. “Sempre deixam para a última hora, na semana anterior ao início das aulas. Muitos aguardam o pagamento do mês de fevereiro”, explica.

Francine Alves, empresária dona de uma papelaria no bairro Jardim das Palmeiras, mostra cadernos com personagens infantis que estão fazendo sucesso neste ano
Francine Alves, empresária dona de uma papelaria no bairro Jardim das Palmeiras, mostra cadernos com personagens infantis que estão fazendo sucesso neste ano

Produtos

Assim como a cada ano, sempre há um registro de aumento nos preços. Francine conta que a alta no valor do papel acabou refletindo no preço de outros produtos que levam na composição o material, como os cadernos e blocos.

“Subiu muito o preço do papel, praticamente o dobro do que eu pagava dois anos atrás”, relata. Cadernos em si variam de preços, sendo os mais básicos a partir de R$ 7,00 podendo chegar a R$ 17,00, quando há estampa de personagens infantis na capa.

Economia

Segundo a proprietária, muitos pais não compram toda a lista indicada pelas escolas dos filhos como forma de economia. Mochilas e estojos, por exemplo, são materiais que têm longevidade.

Cotação

A empresária alerta para uma situação comum entre os consumidores: a cotação. Francine orienta para que os pais cotem os materiais em estabelecimentos diferentes, porém correspondentes às mesmas marcas. “Não adianta cotar uma marca na loja e outra marca em uma papelaria diferente. Assim haverá uma diferença grande nos preços”, finaliza.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia: