Variação de preço deixa ceia indigesta

59

Fabíola Cunha

Preços podem variar quase 30% em alguns produtos (Foto: Arquivo JC)
Preços podem variar quase 30% em alguns produtos (Foto: Arquivo JC)

“Então é Natal, e o que você fez?”. Pesquisou bem antes de adquirir os itens para a Ceia? Visitou supermercados da cidade para ver onde o peru, o chester, o lombo e o tender saem mais em conta? Pois é, nessa época, às vezes com pressa ou falta de planejamento, a ceia pode sair bem mais salgada que o necessário e nem é o tempero que deu errado, é a variação de preços que pode causar indigestão.

A reportagem visitou 5 supermercados de Rio Claro para mostrar não qual estabelecimento é melhor para economizar, mas o quanto é importante calçar um sapatinho confortável e pesquisar os preços antes de comprar.
A maior variação de preços foi encontrada na castanha-do-pará sem casca, que em um local custa R$ 49,90/kg e em outro, R$ 69,90/kg – variação de 28,6%.

As nozes, também sem casca, também apresentam grande variação: R$ 69,90 em dois dos cinco estabelecimentos pesquisados e R$ 94,90 em outro, oque representa 26,3% de diferença. O peru, pobrezinho, além de só aparecer nessa época, ainda tem preço com 25,20% de diferença em supermercados de Rio Claro: sai mais barato a R$14,19/kg e mais caro a R$18,99/kg.

Para ajudar a digerir essa comilança toda, nada melhor que um vinhozinho, não? Pois é, escolhemos uma marca de boa aceitação para comparar: o Almadén tinto sai por R$ 14,50 no local mais barato e R$ 15,90 no mais caro – diferença de 8,8%.

Pesquisa divulgada na última quarta-feira (17) pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (FGV) revela que o consumidor brasileiro pagará 5,44% a mais, em média, este ano, pela ceia natalina. Entre os itens, frutas cristalizadas subiram 16,46% nos últimos 12 meses, avelã aumentou 13,27%, castanha-do-pará ficou 11,82% mais cara, nozes foram reajustadas em 8,99% e uva passa aumentou 8,58%.

Em contrapartida, o preço médio do quilo do bacalhau de diversas marcas subiu nos últimos 12 meses 4,77% – abaixo da inflação. No acumulado de dezembro do ano passado até o último mês de novembro, o quilo do bacalhau mostrava deflação de 4,48%.  A pesquisa detectou também queda no preço médio do quilo de frango especial em 12 meses, da ordem de 10,06%, e o tender ficou 6,91% mais barato.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: