Dia do Técnico em Eletrônica é comemorado nesta quinta-feira (5). Fábio Luís Castaldi fala sobre a profissão que herdou do pai

Ednéia Silva

Em tempos de rápidas mudanças tecnológicas, algumas profissões precisam estar em constante adequação para não ficar de fora do mercado. É o caso do técnico em eletrônica que tem seu dia comemorado nesta quinta-feira, dia 5 de novembro. Das TVs de tubo aos televisores digitais, dos videocassetes aos aparelhos de Blu-Ray, o profissional em eletrônica precisa ser um mutante tecnológico para não ser engolido pelas inovações.

Em 18 anos de profissão, o técnico em eletrônica e mecatrônica Fábio Luís Castaldi acompanhou algumas dessas mudanças tecnológicas. A eletrônica é um negócio de família que passou de pai para filho. Há 38 anos seu pai fundou a Eletrônica São Paulo e hoje os dois trabalham juntos. Nesse período foram várias transformações, o que exige adaptação dos profissionais.

“Tudo muda e o técnico tem que estar atualizado todo dia, senão fica para trás. A cada geração de aparelhos tem que fazer um novo curso”, comenta Castaldi. As mudanças também têm um lado negativo. A escassez de peças no mercado. O técnico explica que por lei os fabricantes têm que manter as peças disponíveis por pelo menos cinco anos no mercado, mas na prática isso não acontece. “Em dois ou três anos não se encontram mais peças no mercado”, destaca.

Dia do Técnico em Eletrônica é comemorado nesta quinta-feira (5). Fábio Luís Castaldi fala sobre a profissão que herdou do pai
Dia do Técnico em Eletrônica é comemorado nesta quinta-feira (5). Fábio Luís Castaldi fala sobre a profissão que herdou do pai

Essa situação dificulta o trabalho dos profissionais, pois trabalham com conserto de aparelhos eletrônicos. É como se a indústria induzisse o consumidor ao consumo, já que em caso de queima a falta de peças inviabiliza o conserto do bem danificado. Além disso, o consumidor tem sede por inovação. Diante disso, os equipamentos acabam sendo substituídos por tipos novos antes de apresentarem problemas e isso contribui para restringir o mercado das oficinas de reparação.

Castaldi acredita que o mercado profissional para o técnico em eletrônica está escasso. O jeito é diversificar para ampliar os serviços oferecidos. Em sua loja, ele trabalha com a linha completa de áudio e vídeo, além de equipamentos médicos e industriais.

Quem quiser ingressar nesse mercado precisa fazer curso específico. Em Rio Claro, o curso de Técnico em Eletrônica pode ser feito no Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial “Manoel José Ferreira”) e também na Escola Técnica Estadual “Prof. Armando Bayeux da Silva”. A Eduq Complexo Educacional oferece curso de Técnico em Mecatrônica. O exercício dessa atividade exige inscrição no Crea (Conselho Regional de Engenharia).

O profissional Técnico em Eletrônica participa do desenvolvimento de projetos, execução, instalação e manutenção de equipamentos e sistemas eletrônicos. Ele faz o conserto de televisões, rádios, computadores, entre outros aparelhos eletrônicos, industriais e domésticos.

Além do Técnico em Eletrônica, também nesta quinta-feira (5) é comemorado o Dia da Ciência e Cultura, do Cinema Brasileiro, do Radioamador e o Dia Nacional do Designer.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.