O hábito de fumar cigarro ou derivados, como narguilé e cigarro eletrônico, é reconhecido como uma doença que causa dependência física, psicológica e comportamental semelhante ao que ocorre com o uso de outras drogas, como álcool, maconha, crack, cocaína e heroína. A dependência ocorre pela presença da nicotina nos produtos à base de tabaco e obriga os fumantes a inalarem mais de 4,7 mil substâncias tóxicas, como monóxido de carbono, amônia, cetonas, formaldeído, acetaldeído, acroleína, além de 43 substâncias cancerígenas, como arsênio, níquel, benzopireno, cádmio, chumbo, resíduos de agrotóxicos e substâncias radioativas.

Neste domingo (25), Dia Mundial do Pulmão, o Ministério da Saúde alerta que os principais causadores de doenças e transplantes pulmonares no Brasil são o tabaco e seus derivados. As doenças pulmonares são aquelas que prejudicam o pleno funcionamento dos pulmões, como câncer, doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), enfisema pulmonar, tuberculose e bronquite crônica.

No Brasil, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), 428 pessoas morrem por dia por causa da dependência de nicotina. Estima-se que R$ 56,9 bilhões são perdidos a cada ano devido às despesas médicas e redução de produtividade. Mais de 156 mil mortes anuais – principalmente em razão do câncer – poderiam ser evitadas.

Parar de fumar pode reverter o dano causado aos pulmões, mas não totalmente. Quanto mais cedo a pessoa parar de fumar, maiores são as chances de prevenir doenças pulmonares crônicas, que são irreversíveis. Entre 2019 e 2022, foram realizados 301 transplantes pulmonares, dos quais 46 foram registrados somente entre janeiro e junho de 2022. Atualmente, existem 227 pessoas na lista de espera por um transplante de pulmão.

O INCA é responsável pelo Programa Nacional de Controle do Tabagismo, que articula a rede de tratamento do tabagismo no Sistema Único de Saúde (SUS), além das campanhas e ações educativas e a promoção de ambientes livres da fumaça do tabaco. Além disso, cria uma capilaridade que contribui na promoção e fortalecimento de um ambiente favorável à implementação de todas as medidas e diretrizes de controle do tabaco no País, ainda que não estejam diretamente sob a governabilidade do setor saúde.

Essa rede faz parte da rede nacional que atua na governança da Política Nacional de Controle do Tabaco, que envolve o Ministério da Saúde e outras pastas e secretarias do governo federal, assim como organizações não governamentais.

Doenças causadas pelo uso do tabaco

São mais de 50 doenças relacionadas ao consumo de cigarro. Os fumantes, comparados aos não fumantes, apresentam um risco 10 vezes maior de adoecer de câncer de pulmão, 5 vezes mais de sofrer infarto, 5 vezes maior de sofrer de bronquite crônica e enfisema pulmonar e 2 vezes mais de sofrer um derrame cerebral.

Fumo passivo

Ao respirar a fumaça do tabaco, os não fumantes correm o risco de ter as mesmas doenças que o fumante. As crianças, especialmente as mais novas, são as mais prejudicadas, já que respiram mais rapidamente. Em crianças que vivem com fumantes em casa, há um aumento de incidência de pneumonia, bronquite, agravamento de asma, além de uma maior probabilidade de desenvolvimento de doença cardiovascular na idade adulta.

O Sistema Único de Saúde oferece tratamento integral e gratuito para todas as doenças pulmonares e também para quem deseja parar de fumar, com uso de medicamentos específicos, como adesivos de nicotina, goma de mascar, pastilha e cloridrato de bupropiona, além de abordagens profissionais multidisciplinares.

Para saber endereço e contatos das Secretarias de Saúde que atuam na cessão do tabagismo, acesse a página do Programa Nacional de Controle do Tabagismo nos estados (https://www.gov.br/inca/pt-br/assuntos/gestor-e-profissional-de-saude/programa-nacional-de-controle-do-tabagismo/programa-nacional-de-controle-do-tabagismo-nos-estados).

Prevenção

– Diga não ao tabaco;
– Respire ar puro;
– Faça exercícios físicos regulares;
– O diagnóstico precoce e o tratamento adequado são a chave para a cura da tuberculose;
– O câncer de pulmão é amplamente prevenível por meio de políticas de controle do tabagismo.

Ministério da Saúde

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia:

Alerta: homem morre vítima de Covid em Rio Claro

10º Baep realiza treinamento de ‘atirador designado’

Refis: emenda ‘bloqueia’ empresas por três anos