Katia Curado, coordenadora do Programa Municipal de Combata a Dengue

Favari Filho

Katia Curado, coordenadora do Programa Municipal de Combata a Dengue
Katia Curado, coordenadora do Programa Municipal de Combata a Dengue

A Vigilância Epidemiológica de Rio Claro acaba de divulgar dados acerca dos casos de dengue na cidade. Segundo o boletim, até a última sexta-feira (30), foram registradas 208 ocorrências desde o início do ano.

Conquanto, no boletim anterior, publicado no dia 23 de janeiro, o número de doentes era de 55, ou seja, em apenas uma semana houve um crescimento de 278% na quantidade de infectados pelo mosquito transmissor.

A coordenadora do Programa Municipal de Combate à Dengue, Katia Curado Nolasco, esteve no Jornal da Manhã, da Rádio Excelsior Jovem Pan, e discorreu sobre os trabalhos que a prefeitura está realizando no intuito de diminuir o número de casos registrados no município.

A profissional explicou aos repórteres do Grupo JC como as pessoas devem proceder em casos de suspeita da doença e também quais são os bairros mais afetados.

Katia revelou que era sabido que o número de episódios aumentaria no verão, pois segundo dados técnicos do terceiro trimestre do ano passado o país todo sofreria um surto porque, mesmo com grande período de estiagem, havia numerosos casos de dengue constatados.

Logo, seguindo a lógica do levantamento, com a chegada das chuvas, as ocorrências tenderiam a aumentar, contudo a entrevistada revelou que não esperava que fossem tantas como as que a cidade vem enfrentando.

De acordo com a coordenadora, o número deve aumentar ainda mais nos próximos boletins porque existem vários exames que ainda estão sendo analisados.

A sorologia demora de oito a dez dias para apresentar o resultado e desde a suspeita é necessário que a pessoa consulte um médico e o avise onde mora para que proceda a notificação.

Em anos anteriores, a cidade chegou a ter mais de mil casos de dengue, contudo Katia explica que, atualmente, estamos ainda vivendo um surto, pois “uma epidemia é caracterizada somente quando há um grande número de casos, que ultrapasse seiscentos, em um curto espaço de tempo”.

As regiões mais afetadas até o momento são os bairros Santa Elisa, Bonsucesso e Novo Wenzel, além do Santana, Alto do Santana e o Distrito de Batovi. Em locais cujo número de infectados é muito alto, está sendo realizada a nebulização, que segue especificações do Ministério da Saúde e, por isso, é a última ação a ser realizada no processo de combate ao mosquito.

No momento, os agentes estão nebulizando os bairros Santa Cruz e Aparecida. Na sequência, devem seguir para Batovi, Santa Elisa, Bonsucesso e Novo Wenzel. Os imóveis abandonados são um grande problema no batalha contra o inseto e, por esse motivo, Kátia pede a colaboração dos proprietários para a remoção dos possíveis criadouros.

Outro fato que aponta é para a dificuldade que os agentes encontram para entrar em algumas residências e informa: “O morador pode abrir a porta tranquilamente para o agente. Se tiver dúvida, olhe o seu crachá, mas é importante que possa vistoriar o imóvel”.

Os interessados em entrar em contato com o Centro de Zoonoses para obter mais informações sobre a prevenção e o combate à dengue podem ligar para: (19) 3527-0309, (19) 3535-4410 e (19) 3536-3866.

Atualização às 15h – Nota da Fundação Municipal de Saúde

Equipe mantém programa de nebulização em Batovi 

Com chuva é impossível fazer nebulização e esse foi o principal impedimento do trabalho da equipe de combate à dengue no Distrito de Batovi, nesta quarta-feira (4). Mas a coordenação da Fundação Municipal de Saúde de Rio Claro está mantendo o programa para Batovi e caso a chuva cesse a nebulização será realizada.

Sem chuva nesta quinta-feira (5), a população do Distrito será mobilizada a partir das 8 horas, pois a nebulização exige uma série de procedimentos preparatórios ao combate de criadouros do Aedes aegipty.

Segundo a bióloga Kátia Curado Nolasco, do combate à dengue da Fundação Municipal de Saúde, o trabalho em Batovi é prioridade e assim que as condições climáticas permitirem a equipe estará presente.