Foto: Governo do Estado de SP

GOVERNO DO ESTADO DE SP

O Estado de São Paulo registra neste sábado (14) 40.459 óbitos e 1.167.422 casos confirmados do novo coronavírus. Os dados foram atualizados na tarde de hoje, após normalização do sistema de notificação do Ministério da Saúde que voltou a ficar inacessível na última sexta-feira (13) por problemas técnicos, segundo o governo federal.

A instabilidade do sistema federal SIVEP, onde são notificados os casos graves e óbitos, fez com que nos últimos oito dias o estado conseguisse processar os dados em apenas três, impactando diretamente na contabilização dos óbitos das semanas epidemiológicas 45 e 46 (passada e atual).

Entre as 40,5 mil mortes, estão inclusas 257 novas mortes acumuladas desde o dia 12, balanço possivelmente inferior ao real verificado no período, já que a instabilidade do sistema SIVEP do MS também dificulta a inserção dos óbitos pelos municípios. Com a retomada do sistema, é esperado que as prefeituras notifiquem estes óbitos “represados” durante o período de falha no SIVEP, o que pode gerar uma falsa ideia de alta de mortes nos próximos dias.

De ontem para hoje observa-se também o incremento de 4.640 novos casos. Na sexta-feira, o total de casos foi atualizada apenas com base nas informações no E-SUS, onde são notificados apenas casos de Síndrome Gripal relacionada à COVID-19.

Entre o total de casos diagnosticados de COVID-19, 1.057.748 pessoas estão recuperadas, sendo que 126.987 foram internadas e tiveram alta hospitalar.

As taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 45,8% na Grande São Paulo e 41,6% no Estado. O número de pacientes internados é de 7.618, sendo 4.369 em enfermaria e 3.249 em unidades de terapia intensiva, conforme dados das 12h deste sábado.

Hoje, os 645 municípios têm pelo menos uma pessoa infectada, sendo 594 com um ou mais óbitos. A relação de casos e óbitos confirmados por cidade pode ser consultada em: www.saopaulo.sp.gov.br/coronavirus.

Perfil da mortalidade

Entre as vítimas fatais estão 23.336 (57,6%) homens e 17.213 (42,4%) mulheres. Os óbitos permanecem concentrados em pacientes com 60 anos ou mais, totalizando 76,5% das mortes.

Observando faixas etárias, nota-se que a mortalidade é maior entre 70 e 79 anos (10.454), seguida pelas faixas de 60 a 69 anos (9.571) e 80 e 89 anos (8.302). Entre as demais faixas estão os: menores de 10 anos (52), 10 a 19 anos (72), 20 a 29 anos (334), 30 a 39 anos (1.148), 40 a 49 anos (2.637), 50 a 59 anos (5.263) e maiores de 90 anos (2.716).

Os principais fatores de risco associados à mortalidade são cardiopatia (59,9% dos óbitos), diabetes mellitus (43,3%), doenças neurológicas (10,9%), renal (9,5%), pneumopatia (8,4%). Outros fatores identificados são obesidade (8,2%), imunodepressão (5,5%), asma (3%), doenças hepáticas (2,1%) e hematológica (1,7%), Síndrome de Down (0,5%), puerpério (0,1%) e gestação (0,1%). Esses fatores de risco foram identificados em 32.634 pessoas que faleceram por COVID-19 (80,5%).

Perfil dos casos

Entre as pessoas que já tiveram confirmação para o novo coronavírus estão 543.936 homens e 617.300 mulheres. Não consta informação de sexo para 6.186 casos.

A faixa etária que mais concentra casos é a de 30 a 39 anos (274.969). As demais são: menores de 10 anos (29.663), 10 a 19 (56.930), 20 a 29 (198.528), 40 a 49 (239.793), 50 a 59 (174.586), 60 a 69 (106.111), 70 a 79 (53.764), 80 a 89 (25.221) e maiores de 90 (7.183). Não consta faixa etária para outros 674 casos.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia:

Quina de São João teve 11 ganhadores; confira os números

Nova edição da JC Magazine chega aos leitores