Sob pressão, PT e PMDB seguem juntos em RC

104

Antonio Archangelo

Na foto de arquivo, o prefeito Du Altimari (PMDB), o vereador Agnelo Matos (PT) e a secretária Zezé Stivalli, agora no PMB
Na foto de arquivo, o prefeito Du Altimari (PMDB), o vereador Agnelo Matos (PT) e a secretária Zezé Stivalli, agora no PMB

A vice-prefeita Olga Salomão (PT) descartou, por telefone, ontem (13), que a sigla teria rachado a aliança com o PMDB em Rio Claro. “Não estamos rachados”, disse. Nos corredores do Executivo, porém, a conversa era que a prefeiturável sairá candidata a prefeita, em decorrência da ausência de diálogo e consenso em torno do nome que disputará a sucessão do prefeito Du Altimari (PMDB). “A mulher está confiante e sairá candidata. Ela não aceita a Zezé”, disse um vereador que pediu sigilo sobre uma chapa formada por Perissinotto/Zezé.

A afirmação se refere a um impasse criado com a ida da secretária municipal de Habitação, Maria José Stivalli, do PT para o Partido da Mulher Brasileira (PMB), fundado na cidade pelo esposo da assessora do vereador Agnelo Matos (PT), que meses antes já havia emplacado o diretor da Câmara na vice-presidência do PSD.

DESEMBARQUE

Por outro lado, a saída de partidos aliados do Governo Federal deve refletir no governo local. Um dos partidos que já assumem um novo discurso é o Partido Progressista, aliado de Altimari em Rio Claro: a sigla declarou apoio ao impeachment de Dilma.

Para o presidente Ronald Penteado, “o PP de Rio Claro entende que o país precisa voltar a crescer. Para tanto, o governo que se encontra instalado não reúne mais condições de recuperar o crédito com os grandes investidores, muito menos capacidade administrativa para tirar o país da crise”, citou à reportagem.

Partido, que possui em Rio Claro uma cadeira no Legislativo ocupada por Julinho Lopes, cita também que o partido “nunca deixou de votar bons projetos para a cidade. Porém, o novo PP criado a partir do comando estadual liderado pelo deputado Guilherme Mussi conta com um perfil independente, perfil este que norteia também o trabalho do PP de Rio Claro. Quero lembrar que o PP não busca cargos, e sim compromisso com a sociedade”, declarou o presidente em nota enviada ao JC na noite de quarta-feira (13).

1 COMENTÁRIO

  1. Rio Claro não oferece muita resistência quando assunto e coligação partidária, entelaçados nos mesmos conceitos, municipal ***P.T>>E P.M.D.B>>>este rompimento com o governo federal significa um transição absolutamente normal!!como a cidade de rio claro e composta pela maioria da oposição!!!em final de mandato engolir os sapos fica confortável para todos!!!!!meso porque **P.M.D.B>>esta despedindo do seu atual mandato .e quem vai assumir a prefeitura, rio clarense ainda e um mistério!!!!!!!

Qual sua opinião? Deixe um comentário: