Adriel Arvolea

O crescimento populacional tem ampliado a demanda por novos serviços, como a produção e distribuição de água tratada
O crescimento populacional tem ampliado a demanda por novos serviços, como a produção e distribuição de água tratada

Tratamento de água, limpeza de vias públicas, coleta e tratamento de resíduos orgânicos e materiais são alguns procedimentos de saneamento básico indispensáveis para a qualidade de vida de uma população cada vez maior.

Frequentemente, o Jornal Cidade, por meio de leitores, recebe reclamações de falta d’água em bairros, noticia rompimento de adutoras, alagamentos em áreas de risco, problemas relacionados ao descarte indevido e coleta de resíduos. Desta forma, que recursos estão sendo investidos no município, a fim de proporcionar bem-estar e uma situação saudável à comunidade?

Rio Claro já investiu mais de R$ 150 milhões em obras de saneamento básico, envolvendo diretamente os setores de água e esgoto, segundo Departamento Autônomo de Água e Esgoto (Daae). Desse total, R$ 60 milhões em obras para ampliar o sistema de captação, tratamento, reservação e distribuição de água.

Os recursos para investimento no setor de água foram obtidos por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), no Fundo Estadual dos Recursos Hídricos (Fehidro) e do próprio Daae. “Os investimentos em obras fazem parte do plano de reestruturação do saneamento básico e terão grande impacto na configuração do abastecimento de água, garantindo a autossuficiência do setor nos próximos 30 anos”, explica.

Hoje, são mais de 900 quilômetros de redes de distribuição de água que atendem 100% da cidade. “Com os investimentos em infraestrutura, o índice de perdas de água tratada vem sendo reduzido de forma gradativa, atualmente é estimado entre 20% e 25%. O índice, portanto, está abaixo da média nacional”, esclarece o Daae.

O município investiu, ainda, cerca de R$ 20 milhões em obras estruturais contra enchentes na região do Jardim Inocoop. No setor de resíduos, passou a contar com aterro sanitário maior, estação de tratamento de chorume, seis ecopontos, universalização da coleta seletiva, cata-bagulho, educação ambiental ampliada nas escolas e destinação correta de pneus, pilhas e baterias, produtos extremamente nocivos à natureza.

Desta forma, Rio Claro caminha para oferecer serviços essenciais de qualidade à comunidade. Para tanto, investimentos são sempre necessários para que a população seja atendida por completo e de forma efetiva.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Notícias: