Sem flagrante, pedreiro assume a morte da ex-namorada e é liberado

176

Sidney Navas

O pedreiro José Honório Souza, 42 anos, acusado de esfaquear e matar sua ex-namorada Francisca das Chagas Valério Izídio Sérgio na madrugada de sexta-feira (27), não vai mais responder pelo crime de latrocínio (roubo seguido de morte), mas sim por homicídio.

Ele, que também é músico nas horas vagas, se apresentou espontaneamente anteontem na Central de Polícia Judiciária (CPJ) e, em seu depoimento, negou que tivesse a intenção de roubar a moto e o telefone celular de dentro da casa da vítima no Jardim das Palmeiras.

HOMICÍDIO: pedreiro mata a ex-namorada de 30 anos, a golpes de faca, e depois confessa o crime pelas redes sociais
HOMICÍDIO: pedreiro mata a ex-namorada de 30 anos, a golpes de faca, e depois confessa o crime pelas redes sociais

A moto foi localizada depois de um tempo e o celular já foi entregue às autoridades. O homem teria dito também que usou a motocicleta para fugir do local do crime e que o telefone celular dela poderia ajudá-lo a provar as ‘supostas traições’ que ele alega ter sofrido durante o relacionamento que durou aproximadamente três anos.

Ainda segundo a polícia, o homem afirmou ter se desentendido em outras ocasiões com Francisca e que, ao descobrir ‘supostas traições’, perdeu a razão, procurou a vítima de novo, quando acabaram discutindo. “Ele declarou que ‘saiu de si’ e agiu sem pensar”, diz o delegado Mário Francischini. Ele foi ouvido e liberado, mas as investigações prosseguem.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: