Imagem ilustrativa. Foto: DCStudio em Freepik

Nos primeiros cinco meses deste ano, foram feitos mais de 20 mil atendimentos ambulatoriais e internações

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo (SES-SP) registrou mais de 20 mil atendimentos ambulatoriais e internações hospitalares nos primeiros cinco meses deste ano, para tratar 59 tipos de câncer que atingem a região da cabeça e do pescoço, incluindo boca, seios da face, laringe e faringe. Esses números representam um aumento de 13,3% em relação ao mesmo período de 2022, quando foram realizados 18 mil atendimentos e internações.

De acordo com o Prof. Dr. Marco Aurélio Kulcsar, chefe do serviço de cirurgia de cabeça e pescoço do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp), “precisamos que as pessoas tenham conhecimento do quanto é fundamental o diagnóstico precoce. Precisamos disseminar as formas de prevenção para diminuirmos cada vez mais o desenvolvimento da doença. O câncer de boca, por exemplo, é o terceiro em incidência no Brasil no sexo masculino”. Segundo levantamento da SES, em 2023, 62,4% dos atendimentos e internações de homens foram decorrentes de câncer de cabeça e pescoço. Desde 2020, esse índice é de 59,8%.

Pessoas que possuem diagnóstico de câncer de cabeça e pescoço representam 7% dos pacientes do Icesp. Um estudo realizado na instituição identificou que 80% dos pacientes atendidos com esses tipos de tumores são ou já foram tabagistas. Além desses fatores, o papilomavírus humano (HPV) também pode aumentar o risco para o desenvolvimento do câncer de boca.

Na rede estadual do SUS, exames relacionados a estes tipos de câncer representam 6,8% do total dos exames oncológicos feitos em 2023 até maio, e 6,4% do total do ano de 2022. Em 2023, já foram realizados 1.400 procedimentos cirúrgicos para o tratamento de câncer de cabeça e pescoço, comparados a 1.519 procedimentos realizados nos cinco primeiros meses de 2022.

PREVENÇÃO

Para os especialistas, é fundamental a atenção à saúde bucal e, ao menor sinal de que algo não está bem, é recomendado buscar acompanhamento médico. Segundo o Dr. Kulcsar “quanto mais cedo o tumor for diagnosticado, maiores são as chances de cura. Em tratamentos precoces, a chance de o paciente ficar curado é entre 80% e 90%, independentemente do tipo de câncer”.

Os sintomas mais comuns desses tumores são: nódulos no pescoço, dificuldade para engolir, mudança na voz, rouquidão persistente, manchas avermelhadas ou brancas na boca, perda repentina e acentuada de peso e aftas. Com o aparecimento de qualquer um desses sintomas, é recomendado procurar um médico assim que possível.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.