A Fundação Municipal de Saúde de Rio Claro divulgou nesta quinta-feira (29) comunicado em que orienta a comunidade sobre meningite meningocócica. Embora não haja casos de meningite meningocócica em Rio Claro nos últimos dois anos, é importante estar atento aos sinais, sintomas e calendário vacinal. A vacina contra o meningococos C é oferecida gratuitamente no SUS para crianças a partir de 2 meses de idade com reforço (ou vacinação inicial) utilizando a vacina contra os meningococos A, C, W e Y para adolescentes de 11 a 14 anos.

“A informação é fundamental, inclusive para que a comunidade possa identificar os sintomas e procurar atendimento quando for necessário”, observa Giulia Puttomatti, presidente da Fundação Municipal de Saúde.

A doença pode ser grave e até fatal, e os sintomas incluem febre, dor de cabeça, rigidez na nuca acompanhada de vômito tipo “em jato” (vômito que ocorre subitamente, sem enjoos e às vezes de maneira violenta). Podem aparecer pontos vermelhos na pele, espalhados pelo corpo. “O atendimento médico e diagnóstico oportuno é fundamental para instituição rápida de tratamento e possibilidade de cura”, destaca Suzi Berbert, médica infectologista e diretora de Vigilância em Saúde.

Atualmente a cidade de São Paulo vem enfrentando um surto de meningite meningocócica, restrito, por enquanto, a dois bairros da zona leste. Naquela cidade foram cinco casos de meningite meningocócica tipo C diagnosticados, com a morte de uma mulher de 42 anos. Como bloqueio à doença, as pessoas da região em que foram confirmados casos estão sendo vacinadas e existe preocupação quanto a sua disseminação. A transmissão se dá pelo contato muito próximo e prolongado com pessoas infectadas com a bactéria, pela respiração e, nem sempre, os infectados desenvolvem a doença.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia:

Alerta: homem morre vítima de Covid em Rio Claro

10º Baep realiza treinamento de ‘atirador designado’

Refis: emenda ‘bloqueia’ empresas por três anos