ISABELLA MENON-SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS)

Véspera do feriado, o domingo (24) no estado de São Paulo registrou 55% de taxa de isolamento, o menor desde último dia 3 de maio, quando o isolamento chegou a 59%.

Na capital paulistana, o índice chegou a 57% no dia que os termômetros da cidade marcaram 11,2°C, recorde de frio do ano, segundo o InMetro (Instituto Nacional de Meteorologia).

O feriado de 9 de julho, que comemora a Revolução Constitucionalista, foi antecipado para esta segunda-feira (25) a fim de aumentar a taxa de isolamento e conter o avanço do coronavírus.

O governo monitora a movimentação dos cidadãos por meio de dados de celular. Durante a quarentena, autoridades da saúde afirmam que a meta é uma redução de mobilidade de 70% da população -o parâmetro se baseia na taxa que permitiu à Itália estabilizar o número de casos.

Até esta segunda-feira, o estado registra 83.625 casos e 6.220 mortes pelo novo coronavírus. Ainda de acordo com dados da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo. A pasta também informa que 16.814 pacientes, internados em hospitais devido complicações da Covid-19, já tiveram alta.

Além disso, dos 645 municípios de São Paulo, 510 já registram casos de infectados, o que representa 79,06% do território paulista. Um estudo do Instituto Butantan mostrou que se a taxa média de isolamento de 47%, a expectativa seria que todo o estado terá casos e óbitos por Covid-19.

A taxa de ocupação dos leitos de UTI do estado é de 73,80%, uma ligeira melhora se comparada com sábado (23), que marcou 75,70%.

Mais em Dia a Dia:

Brasil tem 1 milhão de casos recuperados de Covid-19

Homens lideram mortes por Covid-19 em Rio Claro