Iniciativa é da Confederação Nacional das Santas Casas e visa a apontar para o descaso do SUS

Vivian Guilherme

A Santa Casa de Misericórdia de Rio Claro fechou sete leitos de UTI [Unidade de Terapia Intensiva], que também são utilizados por pacientes do SUS [Sistema Único de Saúde]. O hospital, que atende pacientes de Rio Claro e região, informou que o motivo da desativação é a falta de pagamento da dívida por parte da prefeitura de Rio Claro com a Irmandade.

No início do mês, em uma reunião entre as partes ficou definido que a prefeitura vai pagar três parcelas de R$ 150 mil nos meses de outubro, novembro e dezembro. Com o aporte, somado aos R$ 200 mil pagos no início do ano, a dívida ainda soma o montante de R$ 3,3 mi que, de acordo com o que garantiu o secretário ao provedor, serão pagos nos meses de janeiro, fevereiro e março de 2016.

Iniciativa é da Confederação Nacional das Santas Casas e visa a apontar para o descaso do SUS
Recentemente, a Irmandade da Santa Casa anunciou o fechamento de leitos devido a dificuldades financeiras.

Em entrevista, o prefeito Du Altimari disse que Rio Claro repassa uma subvenção para auxiliar os recursos do SUS que são pequenos, mas afirmou que “o povo de Rio Claro paga o seu imposto e não cobrimos apenas a saúde de RC, mas de toda a região e precisamos da ajuda de todos para que se mantenha o serviço”. O prefeito conclamou ainda os prefeitos da região: “Peço aqui que todos os prefeitos da região venham nos auxiliar, que as cidades da região venham nos ajudar nesse momento, porque só assim todo mundo dando as mãos é que vamos conseguir sair dessa crise”.

Procuradas, as cidades da região informaram que contribuem com a Irmandade através de convênio formado a partir de termo de parceria subscrito com a Secretaria Estadual de Saúde, no Programa “Pró-Santa Casa”. Sendo os municípios de Analândia, Corumbataí, Ipeúna, Itirapina, Rio Claro e Santa Gertrudes, que utilizam a Santa Casa para a realização de cirurgias eletivas, urgência/emergência e exames.

De acordo com a prefeitura de Ipeúna, o pagamento será realizado pela administração retroativo à janeiro de 2015, em quatro parcelas de R$ 4.098,60 a serem pagas até dezembro de 2015, num total de R$ 16.394,40. A primeira parcela deve ser paga à Santa Casa na próxima semana. A prefeitura de Santa Gertrudes informou que o repasse que é realizado é no valor mensal de R$ 4.919,40, ao longo do ano de 2015. Em Analândia e Corumbataí, o valor anual de repasse gira em torno de R$15 mil e R$12 mil, respectivamente, conforme informações repassadas pelas administrações locais.

Cordeirópolis auxilia com subvenção a Santa Casa de Limeira, que é sua referência e para onde são encaminhados os atendimentos de média e alta complexidade.

JR1610-0303.jpg

ITIRAPINA NÃO FAZ REPASSES
Itirapina é a única que, apesar de inscrita no ‘Pró-Santa Casa’ não tem realizado repasses. O prefeito Zé Cândido explica que a administração está proibida de repassar recursos à Santa Casa. “No governo anterior foram feitos repasses e na prestação de contas não foi aceita pelo Tribunal de Contas, por isso foi proibido repassar recursos. Estive em reuniões para ver se encontramos um caminho, queremos ajudar, mas estamos com esse problema. A Santa Casa atende a cidade e é justo ajudar”, explicou.