O município de Rio Claro se despede nesta quinta-feira (8) de José Felício Castellano, o Gijo, que faleceu nesta madrugada aos 95 anos de idade. O ex-deputado rio-clarense veio a óbito enquanto dormia, de causas naturais, de acordo com a sua família.

Um dos nomes mais importantes da política da cidade e do País, elegeu-se pela primeira vez em 1958 como deputado, ficando por seis mandatos, além de dedicar grande parte de sua vida à atividade política. Gijo considerava-se um “mensageiro das reivindicações” dos rio-clarenses e também foi vereador na Câmara Municipal.

Felicio Castellano contribuiu para a abertura de escolas, a encampação da Central Elétrica e da Cia. Paulista de Estradas de Ferro, a criação de entidades como a Udam e foi um dos fundadores do Sesi de Rio Claro – esse último, inclusive, leva seu nome: CAT José Felício Castellano.

Em 2016, Gijo foi um dos destaques na edição da revista JC Magazine. Em reportagem da repórter Carine Corrêa, declarou seu amor e dedicação pelo município. “Rio Claro é tudo: suas ruas e avenidas abrigam os amigos, é berço de história, está inscrita no coração”, disse na época. Confira entrevista completa no vídeo.

O sepultamento deve ocorrer às 16h de hoje no Cemitério Municipal São João Batista. Gijo deixa a víuva Maise, os filhos Paulo (in memoriam), Tuco e Jujo, além de cinco netos Pedro, Gabriel, Marina, Clara e Luana, e o bisneto Matheus. Mais informações serão atualizadas neste link e detalhes você confere na edição impressa do Jornal Cidade nesta sexta-feira (8).

O prefeito Gustavo Perissinotto (PSD) decretou luto oficial em Rio Claro por três dias. “Gijo foi um exemplo de cidadão, orgulho para Rio Claro. Com certeza, deixa um legado muito importante para a população e ao meio político”, afirmou.