A atleta rio-clarense Ana Lídia Scopinho Christofoletti, de 16 anos, que atua como oposta na equipe de voleibol do Sesi Bauru, segue se destacando e colhendo frutos de seu empenho e dedicação. Após ser convocada para integrar a seleção paulista, a atleta foi chamada para participar dos treinamentos da seleção brasileira Sub-19.

“Depois de começar no Mapa Vôlei aqui em Rio Claro, em 2019, fui para o Sesi no ano seguinte e fomos campeãs paulistas. Agora estou colhendo os frutos, fui convocada para Seleção Paulista, onde defendemos o estado de São Paulo, e agora fui convidada a integrar o laboratório da Seleção Brasileira e acabei ficando. Estamos treinando bastante para tentar ficar entre as 12 e garantir vaga no sul-americano que dá direto à disputa do mundial em 2023”, disse Ana.

Um dos primeiros treinadores da atleta Ivan Fonseca do projeto Mapa/Vôlei de Rio Claro destaca todo o esforço e dedicação de Ana Lídia.

“O projeto tem dois objetivos muito claros: o primeiro é contribuir na formação humana dos jovens e o segundo a formação esportiva. Com ela, nós atingimos os dois objetivos, muito por conta da dedicação, da disciplina, da frequência aos treinos que ela sempre teve e também ao apoio da sua família. Ela começou a jogar na equipe Mirim, atuando como central, se destacou e se desenvolveu muito rápido. Ela foi convidada a treinar duas categorias acima, e passou a chamar atenção de muitas equipes da região, o que a que levou ao Sesi Bauru. Lá ela mudou de posição, foi atuar como oposta, sendo uma atleta canhota, facilitou muito a sua adaptação. Jogando muito bem ela foi chamada para Seleção Paulista e segue se destacando. É importante dizer que o projeto não revelou o talento, ele estava lá, nós apenas acreditamos e oportunizamos para que isso acontecesse”, disse Ivan.

“Em 2019, com 13 anos, a Ana já me chamou atenção de início por algumas características, como sua altura, ela era bem magra e com um corpo atlético, além de ter muita coordenação motora. Quando ela começou a treinar, ela se empenhou bastante e se dedicou, e logo foi para nossa equipe de competição mirim no Sub-14. Ela passou a se destacar e, como eu era técnico da equipe infantil também, a chamei para fazer alguns treinamentos e logo já passou a competir também. No meio do ano ela já foi para equipe do infanto, então quase quatro anos acima da categoria que seria a dela. Ela ficou apenas oitos meses conosco. No final do ano algumas meninas resolveram participar de peneiras, a Ana ficou meio receosa, mas eu conversei com ela, disse que ela era a que tinha mais chances do nosso time. Mesmo ressabiada, levei ela para seletiva e falei que se ela quisesse se destacar teria que mudar da central para a posição oposta (saída de rede). Na primeira seletiva ela chamou a atenção do time de São Caetano, mas optou por não ficar, mas duas semanas depois ela foi para seletiva de Bauru com seus pais e passou e está lá até hoje. Fico muito feliz, assim como todos os professores, por todas as conquistas, como estar entre as 20 atletas da Seleção Brasileira. Ela tem um futuro grandioso e depende muito dela continuar trabalhando e ser humilde, que tem muita coisa pela frente”, disse Anderson Ricardo de Lima – técnico do projeto Mapa/Vôlei de Rio Claro.

Família

Os pais da rio-clarense estão orgulhosos das conquistas da filha em pouco mais de dois anos de carreira.

“De início foi uma surpresa, em tão pouco tempo, ela participar da Seleção Paulista agora na Brasileira. A gente só tem orgulho, ela é uma menina do bem, dedicada e esforçada, e a gente só deseja que ela continue traçando esse caminho da melhor forma possível”, disse a mãe Vera Lígia Scopinho Christofoletti.

“Falar da Ana Lídia é fácil, é uma menina muito esforçada, desde os 10 anos, quando ela começou no basquete e depois no vôlei, sempre foi uma boa aluna na escola, e agora também no Bauru, mesmo estando longe de casa nesses dois anos. Hoje posso falar que ela já é uma vencedora, apenas dois anos depois já estar na Seleção. Seguimos no apoio e torcida”, disse o pai Silvio Henrique Christofoletti.

Realização pessoal

Para a jovem atleta ver a dedicação e trabalho ser reconhecido em tão pouco tempo é gratificante.

“Muita coisa acontecendo em pouco tempo, eu comecei a jogar em 2019, já estou conquistando muita coisa, assim como meu time no ano passado, então tenho muito orgulho da gente. Além de mim, outras três meninas da minha equipe também estão na seleção, então é muito gratificante ver nosso trabalho valorizado”, disse Ana Lídia.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Esportes: