Programas esportivos gratuitos são bons incentivos contra sedentarismo

90

Adriel Arvolea

As academias são instaladas em áreas abertas e podem ser frequentadas a qualquer hora por pessoas de todas as idades
As academias são instaladas em áreas abertas e podem ser frequentadas a qualquer hora por pessoas de todas as idades

Cerca de 40% da população adulta brasileira, o equivalente a 57,4 milhões de pessoas, possui pelo menos uma doença crônica não transmissível (DCNT), segundo dados inéditos da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS). O levantamento, realizado pelo Ministério da Saúde em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revela que essas enfermidades atingem principalmente o sexo feminino (44,5%) – são 34,4 milhões de mulheres e 23 milhões de homens (33,4%) portadores de enfermidades crônicas.

As doenças crônicas não transmissíveis são responsáveis por mais de 72% das causas de morte no Brasil. A hipertensão arterial, o diabetes, a doença crônica de coluna, o colesterol (principal fator de risco para as cardiovasculares) e a depressão são as que apresentam maior prevalência no país. A existência dessas doenças está associada a fatores de risco como tabagismo, consumo abusivo de álcool, excesso de peso, níveis elevados de colesterol, baixo consumo de frutas e verduras e sedentarismo.

“Esta pesquisa traz o retrato atual da saúde da população. Temos de trabalhar de forma intersetorial para reverter esse quadro, incentivando a prática de exercícios físicos e outras medidas voltadas a um estilo de vida mais saudável. Temos de romper esse hábito de sentar na frente da televisão e chamar a atenção da população sobre o sedentarismo. O Ministério da Saúde, agora, tem um desafio ainda maior com o Mais Especialidade, direcionando o nosso olhar aos dados da PNS”, destacou o ministro da Saúde, Arthur Chioro.

É de senso comum que exercícios físicos regulares previnem determinadas doenças. No entanto, o sedentarismo está associado, para muitos, à falta de tempo para a prática da atividade física e, também, de recursos financeiros. Mas em Rio Claro, não ter dinheiro e até mesmo tempo não é desculpa. A prefeitura, por meio da Secretaria de Esportes e Fundação de Saúde, oferece diversas opções de esporte e programas voltados à saúde e qualidade de vida.

Alongamento, ballet, basquete, boxe, luta olímpica, capoeira, jiu-jítsu, judô, karatê, musculação, ciclismo, dança, futebol, futsal, ginástica, ginástica artística, hidroginástica, tênis, xadrez, vôlei e natação são as atividades oferecidas gratuitamente pelo município, divididas por polos. Há opções para todas as idades, inclusive à Terceira Idade.

A Secretaria de Esportes tem programas com 30 modalidades ensinadas de maneira descentralizada e gratuita. “Mais de 60 mil pessoas são atendidas pelo programa esportivo da prefeitura, que, também, organiza a participação da cidade em campeonatos municipais, regionais, estaduais e nacionais”, reforça. Como porta de entrada para a prática esportiva em todas as faixas etárias, desenvolve ou apoia trabalhos voltados especificamente para a saúde e inclusão social. Para mais informações: (19) 3533-5422/3533-5433. Rua 9, nº 01, Bairro do Estádio – Secretaria de Esportes.

Saúde

Além da Secretaria de Esportes, a Fundação Municipal de Saúde, também, apoia e incentiva a prática de atividades físicas, tendo no esporte um importante aliado para o bem-estar e qualidade de vida da população. “Atualmente, dez unidades de saúde contam com educador físico que monitora grupos para a prática de atividades físicas. Para o ano que vem, o objetivo é que todas as unidades de saúde contem com este profissional”, comenta a administração municipal.

O Liang gong – terapia corporal – está sendo ampliado. Agentes comunitários de saúde concluem no fim deste ano treinamento para que no ano que vem possam ministrar aulas de liang gong para a comunidade.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: