Procura aumenta o preço de repelentes

75

Ednéia Silva

A divulgação de que alguns repelentes poderiam ajudar a afastar o mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, da febre chikungunya e do zika vírus, fez o produto subir de preço e sumir do mercado. Diante da grande demanda, alguns estabelecimentos também restringiram a venda do produto.

“Duas unidades por pessoa”. Um cartaz com esse anúncio foi afixado na gôndola de repelentes em uma farmácia no Centro de Rio Claro. Por ele, tem-se uma ideia da grande procura pelo produto. Beatriz, funcionária de uma drogaria, disse que tem na loja apenas o repelente em spray. O repelente em gel e o infantil (exposis) está em falta há semanas.

Conforme ela, a farmácia não está encontrando os produtos na distribuidora. No último pedido feito, entregue há 15 dias, chegou apenas o spray. O preço também subiu. No ano passado, o preço custava R$ 39,90 e agora sai por R$ 55,00, alta de 37,85%. Em outra drogaria, Rejane informa que a procura foi grande no início de janeiro, mas agora diminuiu. Segundo ela, o preço não subiu. Em pesquisa feita pelo JC, foi encontrado valor de R$ 11,90 para o Repelex de 100 ml, R$ 53,90 para o exposis gel infantil de 100 ml e R$ 91,95 para o exposis em spray.

Proteste - Associação de Consumidores testou alguns repelentes presentes no mercado
Proteste – Associação de Consumidores testou alguns repelentes presentes no mercado

Qual sua opinião? Deixe um comentário: