Prefeito de Itirapina: Honda é presente para 2015

134

Wagner Gonçalves

Segundo o prefeito, José Maria Cândido, contratações não irão comprometer a folha de pagamento, já que, vagas serão para substituir cargos irregulares ou profissionais que pediram demissão
No segundo ano de seu mandato, o prefeito José Maria Cândido conta sobre as conquistas

Este foi um ano de muitas mudanças e conquistas para o município de Itirapina, conforme destaca o prefeito José Maria Cândido. Ele diz que, ao assumir a gestão pública em 2013, determinou metas à população: “disse que levaria dois anos seguidos para colocar grande parte da administração em dia”, comentou.

E os resultados, por ele destacados, são positivos. Pois, nesse período, foram pagos cerca de R$ 6 milhões em dívidas com servidores, fornecedores e obras abandonadas. Isso sem incluir os gastos com a recuperação de parte da frota, que foi encontrada sucateada. “Houve outros gastos para colocar a casa em ordem, mas que ainda não está 100%. Digo que está 70% em ordem”, destaca Zé Maria.

Para ele, dentre as mais significativas realizações durante esse governo, está a conquista da montadora HAB – Honda Automóveis do Brasil. Pois, com investimento de R$ 1 bilhão, cerca de 80% das obras estão concluídas. A partir de 2015, a empresa deve dar início às produções automobilísticas, cuja estimativa é de 200 mil automóveis ao ano.

Para o terceiro ano de seu mandato, Zé Maria descreve as principais metas como sendo o início da construção de 350 casas populares, 200 pelo Estado e 150 pelo Governo Federal, com investimento estimado em R$ 31,5 milhões.

Ainda, foram liberadas as obras para o sistema de saneamento básico da Represa do Broa, cujo projeto já está aprovado por órgãos ambientais e com a licença de instalação, em custo orçado em R$ 18,5 milhões. “Existem tratativas com o Governo do Estado para liberação desse dinheiro pelo programa Água Limpa”, diz.

Também será feita a conclusão do projeto e aprovação da ligação, por meio de uma avenida dupla, entre as Vilas Cianelli e Monte Alegre, com passagem inferior ou superior na linha férrea, sentido São Carlos, cujo custo está estimado em R$ 5 milhões. Esses recursos serão solicitados junto ao DNIT.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: