Piracema: pesca irregular tem gerado várias autuações

557

Até fevereiro de 2020, a Polícia Militar Ambiental realiza a Operação Servir e Proteger/Piracema.

Durante participação no Jornal da Manhã na data de quinta-feira (5), o sargento Daniel – que pertence à Cia de Rio Claro e que atua em 46 municípios – reforçou o pedido de respeito ao cumprimento das normas neste período de reprodução dos peixes: “Aquelas pessoas que gostam de pescar podem continuar com a prática, porém é importante que tenham consciência de que, uma vez o peixe nativo capturado, ele tem que ser devolvido imediatamente ao corpo hídrico. Se a fiscalização ambiental chegar e encontrar o peixe guardado em algum recipiente, o pescador será multado. Os peixes que podem ser trazidos em uma quantidade de até 10 quilos mais um exemplar são os exóticos, que não são nativos do Brasil, como a tilápia, os peixes que não são da nossa região, como o tucunaré e o bagre africano, e os híbridos, que são as espécies de cruzamento de dois ou mais peixes. Já os nativos têm que fazer o ‘pesca e solte’ ou arcar com multas que variam de R$ 1 mil a R$ 100 mil”, alerta.

Vídeo

Confira a entrevista do Tenente Daniel à Jovem Pan Rio Claro:

Qual sua opinião? Deixe um comentário: