Pais relatam falta de vacinas em postos

360

As crianças nascem e precisam de todos os cuidados, principalmente nos
primeiros meses de vida. E tomar as vacinas corretamente é um deles.

Mas para algumas famílias na cidade de Rio Claro está sendo um desafio.
“Fui dar a vacina pentavalente no meu filho de um mês no posto de saúde
do bairro Vila Cristina e fui informada de que não tinha o medicamento.
O que vamos fazer? Soube que o valor da vacina na rede particular gira
em torno de R$ 500,00, não tenho como pagar esse valor e muitas outras
famílias também não. Nossos filhos ficarão sem a vacina?”, questiona
Bruna Franco.

A mãe fala ainda da falta de pediatras na unidade de saúde. “Antes eram
duas médicas, que sempre atenderam as crianças muito bem, agora temos
apenas uma para dar conta de todos. Quando têm férias, fica mais
complicado ainda”, fala Bruna, que pede uma solução o quanto antes para
a situação.

“Precisamos saber o que fazer e como proceder, de quem é a
responsabilidade, pois estamos falando da saúde dos nossos filhos, isso
em nenhum momento pode ser levado como uma coisa displicente.”

A situação também atinge a família de Emerson C. Rocon, que não consegue
dar a segunda dose da vacina na filha. “Fui até o posto de saúde do
Recanto Paraíso e fui informado de que a vacina pentavalente tem, mas
que a recomendação recebida pelos profissionais é aplicar apenas em
crianças que não receberam a primeira dose, ou seja, que ainda não foram
vacinadas. Fiz contato com a unidade de saúde do Cervezão e recebi a
mesma informação, que a vacina chegaria, mas que seria aplicada também
em crianças que não teriam recebido a primeira dose”, conta.

A vacina tetravalente protege contra a difteria, tétano, coqueluche,
hepatite B e contra a bactéria haemophilus influenza tipo B, responsável
por infecções no nariz, meninge e na garganta.

Prefeitura

Procurada pela reportagem do Jornal Cidade para explicar a falta de
vacinas, a assessoria de comunicação da prefeitura de Rio Claro
respondeu que “A vacina pentavalente é disponibilizada ao município pelo
Ministério da Saúde. Rio Claro recebeu nesta semana 800 doses da vacina,
quantidade insuficiente para atender a toda demanda. Neste momento está
sendo priorizada a vacinação das crianças que não receberam nenhuma dose
da imunização. Na sequência serão vacinadas as crianças que aguardam a
segunda dose da vacina”.

Sobre o atendimento pediátrico, a assessoria de comunicação da
administração municipal informou que a unidade conta com médico pediatra
para atender as crianças. Para reforçar o quadro, a Secretaria de Saúde
informou que está tomando as providências necessárias para, dentro da
legislação, contratar novos profissionais.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: