Paciente se queixa de aparelho raio-x quebrado no PA do Cervezão

126

Carine Corrêa

Aparelho raio-x  do PA está quebrado. Unidade conta apenas com um aparelho do tipo
Aparelho raio-x do PA está quebrado. Unidade conta apenas com um aparelho do tipo

Uma leitora denunciou via WhatsApp da redação do JC (9-9942-4100) que o aparelho raio-x do Pronto Atendimento (PA), do bairro Cervezão, está quebrado.

“No dia 30, completou onze dias que o aparelho estava quebrado. Precisei do serviço, mas fui encaminhada para unidade de saúde na Avenida 29”, relatou.

A Fundação Municipal de Saúde foi procurada e confirmou que, de fato, o equipamento está quebrado. “A peça com problemas foi encaminhada para empresa especializada e deverá retornar nos próximos dias”, garantiu em nota, encaminhada via assessoria de imprensa.

O sistema de emergência da Fundação Municipal de Saúde de Rio Claro conta com três aparelhos de raio-x. O PA do Cervezão tem um aparelho.

Outra frequente reclamação feita pelos pacientes, está relacionada a alguns moradores de rua que se abrigam na área externa da unidade de saúde. A higienização dos banheiros também consta na lista das queixas dos usuários. “Acontece que o fluxo de pessoas é muito grande e algumas acabam usando e até provocando inconvenientes dentro das áreas sanitárias”, finaliza a Fundação.

1 COMENTÁRIO

  1. O Hospital Sírio-Libanês parece que faz mesmo jus ao apelido dado nas redes sociais de “SUS dos Políticos”. O Senado mantém um contrato semestral, no valor de R$ 5 milhões, para atendimento VIP e de emergência aos parlamentares que ficam doentes. O mais recente acordo foi renovado, recentemente, pelo presidente do Congresso, senador Renan Calheiros.

    Embora também tenha uma unidade em Brasília, os políticos que necessitam de assistência médica preferem se socorrer, mais longe dos holofotes do poder, na sede do Sírio-Libanês, no bairro classe A dos Jardins, em São Paulo. Foi o recente caso do ex-Presidente da República e do Senado, o imortal José Sarney, vítima do mordaz mosquito da dengue maranhense.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: